O National Geographic (Nat Geo) estreia a saga de seis episódios Planeta Hostil na quinta-feira, 18 de abril, às 22h20. A série põe em foco os ambientes mais extremos do mundo, revelando as histórias de sobrevivência mais incríveis do reino animal em um planeta de mudanças rápidas e constantes.

Esse não é mais um programa sobre natureza

Com a produção executiva do cineasta e diretor de fotografia ganhador do Oscar, o mexicano Guillermo Navarro (“Pan’s Labyrinth”); a produtora nominada ao Emmy, Martha Holmes (“The Blue Planet”); o ganhador do Emmy, Tom Hugh-Jones (“Planet Earth II”); o ganhador do BAFTA, Bear Grylls (“The Island”), que também é o apresentador e narrador da série, Planeta Hostil foca sua atenção nos relatos mais extraordinários, quase sobrenaturais, de animais que se adaptaram às evoluções mais brutais.

Planeta Hostil é a próxima geração de produções sobre vida silvestre que cria uma narrativa cativante, atual e dramática em cada episódio, apresentando personagens em seis biomas diferentes. A série entende que o mundo está mudando rapidamente e que os desafios que os animais enfrentam são diferentes aos que enfrentavam antigamente. Cada episódio retrata os diversos cenários de montanhas, oceanos, pradarias, florestas, desertos e árticos, mostrando as condições brutais que algumas das espécies do planeta devem enfrentar.  Desafios como clima castigador, intensa competição para obter recursos e o constante conflito predador-presa são ilustrados ao longo da série. A luta é bem simples: sobreviver ou morrer.

planeta hostil national geographic nat geo
Divulgação

Planeta Hostil percorreu os sete continentes em 82 localidades, incluindo Colômbia, Brasil, Costa Rica, Equador e Panamá. Durante os mais de 1.300 dias de filmagem, e com uma equipe técnica de 245 integrantes em cada localidade, a National Geographic registrou mais de 1.800 horas de material impactante.

A série é uma viagem cinematográfica por um planeta que permite experimentar seis ambientes extremos. “A rápida evolução do planeta superou a capacidade das espécies para se adaptarem a circunstâncias hostis, fazendo com que os riscos sejam extremamente grandes”, diz Navarro. “Por meio da nossa narrativa visual, somos testemunhas de sua sobrevivência”.

Planeta Hostil pode parecer de outro mundo, mas não é, é uma representação visceral do planeta através da visão dos animais, o que faz com que essa série seja muito diferente de outras do mesmo gênero”, comenta Hugh-Jones. “Fizemos com que os espectadores sejam testemunhas do drama e dos triunfos diretamente através do ponto de vista dos verdadeiros sobreviventes do planeta; nós os colocamos justamente no centro da ação e dos mundos”.

Agregando um sentido de energia e intensidade, Grylls, um verdadeiro sobrevivente, transporta os espectadores por meio da narração e aparece diante da câmera ao começo e ao final de cada episódio.

Planeta Hostil foi produzida pela Plimsoll Productions para National Geographic. Na Plimsoll Productions, os produtores executivos são Grant Mansfield, Andrew Jackson, Martha Holmes, Bear Grylls, Delbert Shoopman e Tom Hugh-Jones, quem também atua como showrunner. Guillermo Navarro é produtor executivo. NaNational Geographic, Kevin Tao Mohs é o produtor executivo, e Geoff Daniels é vice-presidente executivo de entretenimento não-roteirizado global para National Geographic Channels.