O cinema brasileiro não é muito de inovar, mas até que ele tentou na sua nova comédia Os Farofeiros, trazendo algumas sacadas para o filme, que o fez sair da mesmice e claro, com grande destaque para a atriz Cacau Protásio que nunca peca na atuação quando se trata de humor.

O filme é dirigido por Roberto Santucci, e conta no elenco, além da Cacau, com Daniele Winits, Charles Paraventi, Maurício Manfrine, Antônio Fragoso entre outros, que decidem ir para uma casa de praia em Maringuaba, para passar o feriado prolongado do ano novo.

O filme começa com o pai de família Alexandre (Antônio Fragoso) deslocado em meio à festa da firma, sendo o único a trabalhar enquanto todos se divertem. Em seguida, ele recebe uma ligação da esposa Renata (Daniele Winits), falando que eles não poderão mais ir pra casa de praia em Búzios e que ele teria que dar um jeito de eles viajarem para qualquer outro lugar, já que ela não queria ficar em casa no feriado. Porém, ele logo descobre que será o novo gerente da empresa mas que não pode falar para ninguém até a virada do ano.

Mas a premissa do filme se torna realmente clara quando Alexandre se vê sem opções de local para viajar com a esposa e a família, e recorre ao seu colega de trabalho, Lima (Maurício Manfrini). Ele consegue uma vaga na casa de praia do amigo, que ia no feriado e que o garantiu que era uma casa maravilhosa e que a família dele iria amar. E é aí que a história começa a se desenrolar, com a família de Alexandre, Lima, sua esposa Jussara (Cacau Protásio) e filhos, e outros colegas de trabalho (para a surpresa de Alexandre e a esposa) indo todos juntos para o feriadão. Quando eles finalmente chegam na almejada casa, descobrem que ela não é tão maravilhosa assim.

Os pontos fortes do filme ficam a cargo da Cacau que, como falei, nunca erra quando se trata de humor, seja pelo seu figurino, piadas leves e alguma ferozes e sua variação capilar digna de um show de diva pop. Não posso também esquecer de algumas sacadas que o filme faz quebrando a quarta parede, referenciando até filmes de terror. Mas, como sempre, a comédia brasileira é prisioneira de estereótipos e de piadas machistas e algumas até homofóbicas.

Algo que me agradou no filme foi a nostalgia das casas de praia, que eu ia com a minha família, e geralmente eram lugares pequenos, com um a dois quartos para mais de dez pessoas. aí você consegue imaginar os problemas que acontecem.

Em resumo, é mais um filme de comédia brasileira que com certeza fará sucesso nas bilheterias, e que irá proporcionar muita risada para o público, que, querendo ou não, é o que o povo quer.

Continue ligado no Cosmonerd para mais novidades e análises da cultura pop, geek e nerd. Diariamente, postamos conteúdo em vídeo, áudio e texto sobre filmes, séries, games, quadrinhos e livros.