Chegamos ao sexto (isso mesmo) filme da franquia Missão: Impossível, trazendo novamente o agente secreto Ethan Hunt para salvar o mundo trabalhando para a IMF. Mas será que essa franquia ainda consegue manter o nível depois de tantos filmes?

Na trama, vemos Ethan Hunt (Tom Cruise) e seu time aceitando uma missão para recuperar 3 ogivas nucleares e evitar uma catástrofe global. A novidade é que o time da IMF vai ter que trabalhar agora com o agente Walker (Henry Cavill) da CIA e com a espiã Viúva Branca (Vanessa Kirby) nessa empreitada que lembra muito as tramas de Guerra Fria.

Essa é a primeira vez em Missão: Impossível que temos um diretor voltando para a franquia. Christopher McQuarrie dirigiu o quinto filme (Nação Secreta) e volta agora trazendo alguns elementos e personagens que vimos no filme anterior. Confesso que fiquei com um pé atrás com essa decisão pois eu gosto dessa mudança de diretor para trazer narrativas e técnicas diferentes para a franquia, além disso eu não tinha gostado muito de Nação Secreta. Mas felizmente o diretor consegue se superar e entregar um filme bem melhor do que o anterior.

O roteiro de Efeito Fallout não foge muito dos outros filmes da franquia, espere uma trama internacional, muita espionagem, muitos plot twists, cenas de ação tensas e de tirar o fôlego e, claro, missões quase impossíveis. O ritmo do longa é sua principal qualidade, o filme possui um ritmo frenético que nunca para e mesmo assim não cansa o telespectador. As cenas de ação são bem variadas e criativas, fazendo bom uso das localidades e diversos cenários. Os efeitos especiais conseguem entregar muito bem o que se propõe falhando em raros momentos. Existem, claro, cenas muito “mentirosas” que extrapolam um pouco a realidade, mas o tom mais divertido e despretensioso do filme faz o espectador relevar as mesmas.

Henry Cavill está bem no papel de Walker e justifica toda a polêmica envolvendo seu bigode e o filme Liga da Justiça. O ator funciona muito melhor nesse papel de “brucutu” do que como Superman. As cenas de ação envolvendo seu personagem são muito boas, aliás todas as cenas de porradaria são bem fortes, você sente as pancadas mesmo em cenas com mais liberdade criativa.

Para combinar com o roteiro cheio de tensão e o ritmo frenético do filme, temos uma das melhores trilhas sonoras da franquia. Lorne Balfe traz músicas impactantes que pegam o melhor do tema original e conseguem empolgar bastante nas cenas de ação. Bem como nos momentos que o diretor decidiu deixar as cenas sem a trilha sonora, momentos bem pensados que deixam as cenas mais cruas e tensas.

Missão: Impossível: Efeito Fallout é um dos melhores filmes da franquia. O longa traz Tom Cruise no principal papel da sua vida fazendo o que ele gosta de fazer e muito seguro no seu lugar. Os ótimos Ving Rhames e Simon Pegg continuam acompanhando o herói de perto em suas missões superelaboradas e também trazendo um bom humor para a trama. Apesar de eu sentir falta de uma presença feminina mais forte no longa, temos até uma personagem que tem seus próprios objetivos e não está ali só para ajudar o Hunt. Fallout consegue seguir a fórmula e os clichês da franquia e fazer um filme que ao mesmo tempo é tenso e frenético, mas também é divertido e despretensioso, aceitando suas cenas exageradas que beiram o ridículo como puro entretenimento.

Continue ligado no CosmoNerd para mais análises e novidades da cultura pop, geek e nerd.