The Crown: salto no tempo e de qualidade na 3ª temporada da série

0

Novos episódios chegaram na Netflix; The Crown agora é estrelada por Olivia Colman

Tramas da realeza são sempre interessantes, e não foi surpresa o sucesso atingido por The Crown, a mais cara e assistida série da Netflix, que mostra os bastidores e intimidade da Rainha Elizabeth II. Estrelada por Claire Foy nas duas primeiras temporadas, agora a coroa repousa em Olivia Colman (Fleabag) – dado que a terceira temporada acaba de chegar ao streaming.

No entanto, a mudança na protagonista principal é apenas uma das significativas alterações que a série sofreu nesses novos episódios. E a primeira impressão é positiva.

Neste primeiro episódio temos questões interessantes e de um modo geral mais relevantes se compararmos às apresentadas anteriormente. Ambientada em 1965, a trama contempla uma Elizabeth com mais idade do que a vivida por Foy, então é natural que a velhice seja uma das preocupações iniciais.

Porém, uma pessoa em sua posição possui outras preocupações, o que nos leva à eleição para Primeiro Ministro da Inglaterra, vencida pelo trabalhista Harold Wilson (Jason Watkins). O roteiro consegue trabalhar muito bem os boatos de que ele seria um espião a serviço dos interesses da União Soviética. Winston Churchill (vivido pelo excelente John Lithgow) acabou de falecer e o contexto global vigente é o da Guerra Fria. Eram tempos de muita desconfiança e paranoia.

Rainha Elizabeth e Príncipe Phillip na 3ª temporada de The Crown, da Netflix
Olivia Colman e Tobias Menzies. Divulgação: Netflix

A personalidade da Rainha é destacada aqui num embate intelectual travado com o curador de arte da monarca, Anthony Blunt (Samuel West), que de quebra acaba mostrando mais um pouco de como as coisas são tratadas – de preferência – nos bastidores. Afinal, ninguém quer expor a monarquia, o MI-6 (serviço de inteligência britânico) e o parlamento.

Olivia Colman está muito bem como Elizabeth, e mostra logo de cara uma adequação certeira para viver a personagem, resultado de muito preparo por parte da atriz que não à toa foi premiada no Oscar pelo filme A Favorita (2018) como Melhor Atriz, além do elogiável trabalho de produção e figurino.

Juntam-se a ela outras versões envelhecidas de personagens importantes, como o Príncipe Philip que agora é vivido por Tobias Menzies, da série Outlander. Já a irmã da Rainha, a rebelde Princesa Margaret, ganha vida na pele de Helena Bonham Carter, consagrada atriz conhecida pelos “potterheads” por viver Bellatrix Lestrange em Harry Potter, mas também destaque de muitas outras produções como Clube da Luta e filmes com Johnny Depp. Para fins de curiosidade, Carter também já viveu Elizabeth no premiado filme O Discurso do Rei (2010), que conta os dramas do pai da futura Rainha, o Rei Jorge VI.

Como é possível perceber com o que já tratamos, The Crown continua, nessa terceira temporada, a levar o espectador pontualmente a momentos-chave da história mundial. De resto, você pode esperar a boa e velha sofisticação da produção Netflix, sob o comando de Peter Morgan. Isso foi apenas o primeiro episódio. Ainda retornaremos para tratar de mais pontos da série, como a relação entre Elizabeth e seu filho Charles.