Como vender drogas online (rápido) – 2ª Temporada (Netflix) | Crítica

183
como-vender-drogas-online-rápido-2a-temporada-netflix-serie

Série alemã mantém a qualidade narrativa no retorno à Netflix; Como vender drogas online (rápido) é uma criação de Philipp Käßbohrer e Matthias Murmann

O mundo startupeiro das drogas ilícitas retorna para a Netflix com a 2ª temporada de Como vender drogas online (rápido), série alemã que fez sua estreia há cerca de um ano trazendo uma rápida e divertida maratona ao serviço. A boa notícia é que o programa continua com a mesma qualidade, aprofundando ainda mais a trajetória de Moritz e Lenny no submundo do crime.

Para quem não conhece, a trama conta a história de um garoto que, após perder a namorada (que passou por um intercâmbio nos EUA), decide vender drogas para subir de status. Dotado de muito conhecimento sobre empreendedorismo e um amigo igualmente capaz, ele monta um negócio on-line para dar vazão aos produtos ilegais de um modo que as autoridades não os identifique.

A segunda temporada começa depois de alguns dias do desfecho da primeira, mostrando o que aconteceu desde a morte do traficante que estava coagindo Moritz (Maximilian Mundt) e Lenny (Danilo Kamber): os garotos conseguiram estabelecer seu negócio (chamado de MyDrugs) e expandi-lo, tendo Dan (Damian Hardung) como novo membro da equipe de um modo forçado, pois ele acabou descobrindo sobre o negócio deles.

como-vender-drogas-online-rápido-2a-temporada-netflix-serie
Os três sócios do negócio mais ilícito da internet. Divulgação: Netflix

Como contar uma história divertida (rápido)

A narrativa continua no ritmo acelerado como se apresentou, lançando mão de elementos que prendem o espectador. Ela ocorre dinamicamente, seja com narração em off pelo protagonista ou até mesmo soluções criativas que quebram a quarta parede, como a gravação de um documentário sobre o ocorrido. Isso dá uma identidade bacana a Como vender drogas online (rápido), tendo como único defeito nesse aspecto confundir quem assiste em alguns momentos.

Na 2ª temporada, alguns personagens passam a ganhar maior profundidade na trama, como Lisa (Lena Klenke), que até então soava mais como uma garota mimada que deu o fora no protagonista. Outro que tem uma abordagem parecida é Dan, que passou a ser retratado como além de um garoto bonito (e burro) padrão para alguém com potencial intelectual. São inversões de papéis que dão respiro para a ligeira trama criada por Philipp Käßbohrer e Matthias Murmann.

A amizade entre Moritz e Lenny se depara com novas provações aqui, com o roteiro tomando rumos que nos fazem questionar a audácia dos escritores. Não apenas pela inserção de Kira (Lena Urzendowsky), um interesse amoroso para Lenny, que possui condições particulares de locomoção como a necessidade de cadeira de rodas e baixa estima fortíssima, mas também por não se agarrar a soluções que seguem a cartilha de histórias de bromance.

Desse modo, espere por um protagonista com grande potencial para ser odiado. Moritz está ainda mais insuportável nesses novos episódios de Como vender drogas online (rápido), tomando atitudes questionáveis constantemente e tendo pouco tempo para cumprir sua jornada de redenção depois de ser um escroto. Para não focarmos apenas em seus erros, algumas falhas também são cometidas por outros personagens. Algumas delas, no entanto, são justificáveis. A busca por amor, dinheiro ou reconhecimento pode muitas vezes levar as pessoas a atitudes como a dos personagens representados aqui, lembrando em certa medida outras produções como Breaking Bad e Ozark.

Kira e Lenny em cena íntima. Divulgação: Netflix

Quem precisa dos EUA?

A estrutura da série é perfeita para maratona, devido ao seus poucos (seis) episódios com apenas trinta minutos de duração. Dica rápida: o idioma predominante nos diálogos é o alemão por motivos óbvios, mas assisti alguns capítulos em português-br e a qualidade da dublagem está excelente.

Outro ponto positivo dessa atração é poder ver o interior da Alemanha, algo que dificilmente é retratado. Você pode mencionar Dark como um exemplo e eu irei concordar, mas aqui temos um viés mais urbano e condizente com a nossa realidade, mesmo que exigindo nossa suspensão de descrença constantemente. Esse investimento que a Netflix tem promovido em produções europeias (e fora dos EUA de um modo geral) tem agregado bastante em qualidade. E os fãs agradecem.

Para o futuro, há alguns ganchos interessantes no final da 2ª temporada de Como vender drogas online (rápido). No entanto, parece que a próxima deve ser também a última da série, se levarmos em conta o modo destemido que o roteiro segue sua linha do tempo. E isso é muito bom.

Publicidade