Nos últimos dias, uma série com temática zumbi tem chamado atenção no catálogo do streaming da Netflix, que é Black Summer, criação de Karl Schaefer e John Hyams. O que viabiliza seu tratamento aqui é, além dos seus próximos atributos que trataremos adianta, a discrepância com o principal produto do gênero na TV, The Walking Dead.

A série de criada por Robert Kirkman nos quadrinhos tem em seu formato televisivo um programa icônico, sempre pautado por grande ganchos entre uma temporada e outra (famoso cliffhanger) com seus personagens pra lá de estilosos como Michonne, Rick Grimes, Daryl, Governador, Negan etc. O sucesso é tanto que é seguro dizer que The Walking Dead está além do gênero que habita, devido à sua forte presença no noticiário pop, geek e nerd.

Black Summer, ao seu modo, abre mão de tudo isso

A fotografia nublada escancara a sensação de que o mundo foi pro saco e a narrativa é diretamente impactada pelo cenário cinzento e abandonado, sempre escondendo a apreensão do próximo ataque em busca de carne – humana e fresca. Nesse sentido, é como se estivéssemos num reality show onde pouca coisa de fato acontece, mas o suspense nos deixa presos à tela. A experiência é agradável, já o replay é provável que não.

Um fator determinante para o sucesso de Black Summer nesse sentido é a ligeireza do roteiro, onde as coisas não demoram para acontecer. Para ajudar na dinâmica, temos a história contada cada hora numa perspectiva diferente, e nem sempre se trata de personagens que vão durar até o final. Vale elogiar também o trabalho de montagem das cenas, onde algumas dessas figuras vão se cruzar ao longo do caminho.

Outra marca é a aleatoriedade do que seria um caos generalizado. Isso se reflete em momentos como quando um sobrevivente foge de um perseguidor até encontrar um machado. Ao tentar golpear o morto-vivo, o cidadão se atrapalha todo e enrosca a ferramente no teto, evidenciando o que é óbvio: o melhor que ele pode fazer é correr, uma vez que ele não possui habilidade alguma com armas.

Black-Summer-Netflix

É o tipo de gesto que nega boa parte do que é comercializado por aí,como em The Walking Dead e seus personagens icônicos. No entanto, essa série da Netflix lança mão de elementos mais modernos (que por sua vez já estão banalizados) da mitologia do gênero, como os zumbis corredores.

Mesmo assim, Black Summer é um devido respiro aos fãs da temática zumbi, uma vez que a série de Robert Kirkman está gasta há muito tempo, seja na versão impressa ou na televisiva. Ao mesmo tempo A Netflix diversifica suas opções dentro do gênero, se levarmos em conta a ótima – mas cancelada – comédia Santa Clarita Diet e a vindoura adaptação de Resident Evil.