Steampunk Ladies: Falamos com Zé Wellington sobre Choque do futuro!

0
zé wellington de cangaço overdrive e steampunk ladies

Quadrinista cearense anunciou a continuação de Steampunk Ladies, que será lançada na CCXP 2019

Steampunk Ladies – Vingança a vapor foi lançada em 2015, onde acompanhamos a historias de Sue e Rabiosa (que vocês podem ler a critica aqui) e ainda arrastou o premio HQ Mix de Novo Talento Roteirista para Zé Wellington.

De 2015 pra cá, Zé não parou, mas o universo de Steampunk Ladies, sempre pediu uma continuação, e ela chega em 2019, com lançamento previsto para a CCXP 2019, Steampunk Ladies: Choque do Futuro. E junto com um novo trabalho, ele trouxe uma baita quadrinista para dar o traço para as heroínas, Sara Prado (Adagio).

Aproveitei a noticia e fiz umas perguntinhas para Zé Wellington sobre esse novo projeto. Confira:

CosmoNerd – Como foi passar esse tempo longe desse universo, dessas personagens e voltar a elas, com outra cabeça e novas parcerias?

– Dá pra fazer uma análise começando antes do lançamento do volume 1, em 2015. Quando começamos a criar este mundo, ainda não tinham nem rolado os eventos de junho de 2013. Se em 2015 havia uma certa insegurança com o lançamento do primeiro quadrinho, por que não sabíamos se estávamos abordando os temas da forma correta, o segundo já se tornou quase obrigatório, por dialogar com o cenário político atual. Vendo o resultado final deste novo quadrinho, que teve uma equipe heterogênea e com participação de várias meninas, fico bem orgulhoso de termos conseguido ampliar o universo do primeiro volume, mas apontando numa direção mais firme com relação às mensagens que queríamos comunicar.

CosmoNerd – Sentiu que tua escrita mudou do volume 1 para cá?

– São outros tempos e outro Zé (risos). Gosto daquela frase clichê de escritor que o próximo trabalho é sempre o seu melhor. Tive um grande aprendizado durante a escrita de Cangaço Overdrive, que correu praticamente em paralelo com a de Steampunk Ladies: Choque do futuro. Mudei de emprego e minhas metas profissionais são completamente diferentes agora, inclusive contemplando melhor a escrita. Todo esse vigor está neste novo quadrinho.

CosmoNerd – Qual a grande diferença nesse volume 2?

– Refletindo as mudanças já citadas nas perguntas anteriores, Steampunk Ladies: Choque do futuro tem uma brusca mudança no cenário e, por consequência, no gênero de história. A primeira bebia das influências dos westerns americanos e este é uma aventura na Inglaterra Vitoriana, com mais ficção científica e crítica política. Com as máquinas criadas pelo pai de Rabiosa, a virada do século XIX para o século XX é muito mais conturbada no mundo de Steampunk Ladies do que foi no nosso mundo. A partir daqui, especialmente dos eventos no final do quadrinho, veremos que este é um mundo diferente do nosso, com suas regras próprias.

CosmoNerd – E agora temos uma baita desenhista neste universo, e ter uma mulher desenhando as historia da Sue e da Rabiosa faz todo sentido. Como foi o trabalho com a Sara Prado?

– A Sara trouxe uma dinâmica nova pro quadrinho. Há um pouco de respeito pelo material anterior no traço dela, mas o respeito dela é muito maior pelas personagens, que estão com figurinos vitorianos incríveis e ainda com muito mais expressividade. Ela foi uma engrenagem poderosa na máquina que desenhou o quadrinho, que ainda teve participação do Wilton Santos e do Leonardo Pinheiro.

Cosmonerd – A HQ chega agora em Dezembro, e fico imaginando como esse universo clama por uma expansão. Já tem algo em mente?

– Hoje eu sei que Steampunk Ladies terá quatro volumes no total. Dentro das incertezas que dizem respeito a trabalhar com arte no Brasil, é difícil fazer grandes promessas e definir prazos, mas depois deste volume fiquei ainda motivado em seguir com a história. Para o próximo volume eu só tenho uma palavra: GUERRA. Em paralelo, existem negociações para levarmos Sue e Rabiosa para outras mídias. Por enquanto em fase muito inicial, mas com passos bem concisos.

CosmoNerd – Neste momento em que a política precisa ser cada vez mais discutida em todas as mídias, como você enxerga teu posicionamento nessas obras, afinal, acabam sendo obras que pedem um posicionamento político, como o caso de Cangaço Overdrive e agora, Em Steampunk Ladies – Choque do futuro?

– Às vezes as pessoas me perguntam o que estou achando da atual política brasileira e eu só respondo com: “leia meus quadrinhos, está tudo lá” (risos). Na minha opinião é um período muito inapropriado para ficar em cima do muro. O espectro do retrocesso paira o país, institucionalizado pelo atual governo federal. Há quem diga que quadrinhos não podem ter política e eu digo que quem pensa assim entendeu tudo errado ou não conhece a origem da linguagem, calcada na crítica política impressa nos jornais. Eu penso que atravessar uma rua diariamente é um ato político, então imagina contar uma história.

CosmoNerd – Quem está ansioso para garantir o volume dois das aventuras de Sue e Rabiosa, como faz? Já tem pré-venda?

– O quadrinho será lançado na CCXP, no início de dezembro, em São Paulo. Estarei em todos os dias do evento na Artists’ Alley, na mesa F08. Para quem não vai pro evento, a dica é pegar na pré-venda que já está rolando no site da Editora Draco.