Becky C.

16 jun, 2021

Hqs e Livros

Luiza de Souza, mais conhecida pelo seu @, Ilustralu, lançou, em seu Twitter, a história em quadrinhos Arlindo. Aos poucos, ela ia soltando essa narrativa, e a repercussão foi tão grande, com tantos fãs, tanta gente apaixonada pela sua criação, que chamou a atenção da editora Seguinte. Logo, Ilustralu abriu, junto com a editora, uma campanha no Catarse para a Graphic Novel de Arlindo, para que todes pudessem adquiri-lo com diversos brindes incríveis.

Não só bateu todas as metas, como foi além. Arlindo foi amplamente comprado, e até mesmo doado a algumas instituições e colégios públicos. A palavra do nosso querido menino foi espalhada aos quatro cantos do Brasil, e é sobre ele que eu venho falar hoje.

Sinopse de Arlindo

Arlindo é um garoto cheio de sonhos e vontade de encontrar um lugar no mundo. Tudo o que ele quer é seguir sua vida de adolescente na cidadezinha onde mora, no interior do Rio Grande do Norte. Ele aluga filmes na locadora com as amigas todo sábado, sente o coração bater mais forte pelas primeiras paqueras, canta muito Sandy & Júnior no chuveiro, e ainda cuida da irmã mais nova e ajuda a mãe a fazer doces para vender.

Por mais que ele se esforce e dê o seu melhor, muita gente da cidade não aceita Arlindo - o que traz uma série de problemas na escola e até mesmo dentro de casa. Aos poucos, porém, ele vai perceber que vale a pena lutar para ser quem ele é, ainda mais quando tem tanta gente com quem contar. 

Com um traço divertido, cores vibrantes e um monte de referências aos anos 2000, esta história em quadrinhos que já conquistou milhares de fãs na internet fala sobre encontrar forças nas pessoas que a gente ama e dentro de nós mesmos. E, principalmente, perceber que a gente não tá só. 

arlindo página do quadrinho

Sobre a leitura

Particularmente, eu só fui descobrir Arlindo quando a história já estava perto do fim e, para a minha sorte, foi anunciado, pouco tempo depois, a campanha no Catarse. Óbvio que corri para comprar o meu.

Arlindo é um personagem que me lembrou muito meu filho. Ele é sensível, amoroso, prestativo, cheio de dúvidas, em busca de aceitação. O protagonista tem mãe, avó, irmã e tia ao seu lado, mas é obrigado a conviver com um pai que não só não o aceita, como fica o tempo todo o diminuindo e falando coisas tão comuns aos rapazes que têm traços considerados como afeminados: "Vira homem", "Isso não é coisa de homem", "Toma jeito de macho", além de ameaçar bater no filho o tempo inteiro - chegando quase aos finalmente várias vezes, sempre desconfiado que o filho não seja hétero como ele esperava.

Felizmente, Arlindo atrai boas amizades, que o acolhem. Além da história também dar uma explorada na vida dessas amizades, como a da Mari, sua melhor amiga, e toda a questão dela com o crush, deixando a narrativa ainda mais imersiva e interessante.

Cada personagem é bem construído, com voz própria. As ilustrações, obviamente, ajudam e muito nesse aspecto. São usadas cores vibrantes e bonitas, em tons de rosa e amarelo principalmente, e há um cuidado muito especial em retratar cada pessoinha que aparece nos quadros.

A leitura é bem rápida, apesar da graphic ser bem grossinha. Você mal pisca e já terminou, deixando aquele gostinho agridoce de quero mais. Claro, a história do Arlindo é bem fechada, mas bem que a Ilustralu podia considerar uma continuação para nós, fãs órfãos dessa maravilhosa história.

Sobre a autora

Nascida em Currais, no Rio Grande do Norte, estudou publicidade e, atualmente, trabalha como ilustradora, faz quadrinhos e participa de projetos empolgantes para ganhar a vida e manter o juízo - afinal, sabemos que a vida de artista nesse Brasil é bem complicada. Gosta de escrever sobre relacionamentos, cotidiano, cidades, pessoas e universos que existem dentro e fora delas.

Você pode encontrá-la nas redes sociais como @Ilustralu, como já dito.

E aí, tá esperando o que para ir atrás do seu Arlindo?

Deixe um comentário