Burly Men At Sea | Crítica

0
38
Burly Men At Sea

Na quantidade de jogos que saem atualmente, principalmente indies, é difícil você jogar algo que se destaque e acabe trazendo algo diferente mesmo não inovando tanto assim. Isso é Burly Men At Sea, um jogo narrativo que vai te levar numa fofa aventura escandinava. Confira nossa crítica sem spoilers.

Burly Men At Sea é um jogo de point & click da Brain&Brain que conta a história de três irmãos barbudos que encontram um mapa em branco e acabam se aventurando em uma jornada que vai passear por diversas lendas e histórias do folclore escandinavo.

Não quero dar muitos detalhes da trama pois uma das melhores coisas do jogo é saber em qual aventura os irmãos barbudões vão se meter nessa vez. Mas o jogo funciona em pequenos segmentos de gameplay que duram mais ou menos meia-hora cada. Toda vez que você inicia uma nova partida, tem como escolher caminhos diferentes que se ramificam em diferentes histórias. Todas as histórias são inspiradas em contos nórdicos e escandinavos mas contados de uma forma muito leve e divertida, sempre com muito bom humor e um sentimento de aventura e descoberta.

Esse sentimento leve se dá também ao estilo minimalista da arte do jogo. Como designer, é muito divertido ver as diferentes soluções que eles tiveram para representar diferentes situações de forma minimalista, desenhando o mínimo possível. Um bom exemplo de que menos é mais. Inclusive, tudo no jogo é minimalista, seja nos diálogos curtos que parecem ser tirados de um livro infantil como também a maravilhosa trilha sonora de Pied Sound, muitas vezes criando uma música e efeitos sonoros usando somente voz e poucos instrumentos.

Como nem tudo são flores, o jogo peca um pouco no gameplay confuso em certos momentos e com uma das piores movimentações que já tive o prazer de conhecer. Mas felizmente as interações são muito poucas e na maior parte do tempo você vai estar apreciando os belos diálogos e animações. Se você se interessar por platinar o jogo vai ter que testar um pouco sua paciência pois muitas animações se repetem e você vai ter que passar pelo mesmo caminho várias vezes, mas é perceptivo que o jogo não foi feito para jogar dessa maneira. De toda forma, eu recomendo que você tente encontrar o máximo de histórias possíveis pois várias delas são hilárias.

Burly Men At Sea é a aquele tipo de jogo que não aparece sempre. Ele é curto, não tenta inovar demais mas acaba se destacando justamente por sua simplicidade. Em diversos momentos você se sente lendo um livro infantil e os desenvolvedores até criaram um sistema bem legal onde você pode encomendar um livro físico com a história personalizada que você criou. Espero que a empresa aprenda com os erros de interatividade e consiga trazer um jogo no mesmo estilo no futuro só que maior e ainda melhor.