Raphael (Ph) Carmo

23 out, 2020

Games

Um frenético simulador de cozinha

Os jogos de simulação de cozinha são bem famosos no mundo dos games, seja nas suas formas mais casuais ou hardcores. Cook, Serve, Delicious! 3?! (o título é assim mesmo) da Vertigo Gaming consegue entregar uma experiência que pode ser ao mesmo tempo relaxante e estressante, com modos de jogo mais simples ou mais frenéticos. Confira nossa crítica.

cook serve delicious 3

Do que se trata Cook, Serve, Delicious! 3?!

A história do jogo (sim ela existe) é bem viajante para um jogo de cozinha. Você controla um chef que teve seu restaurante explodido. Mas nem tudo está perdido, você precisa viajar pelos EUA pós-apocalíptico em seu food truck e suas duas parceiras robôs até chegar em uma competição de culinária! Apesar de você poder ignorar totalmente a história do jogo, ela ajuda no clima frenético e bizarro.

gameplay em si consiste em analisar os pedidos dos clientes e utilizar combinações de controles de forma rápida e precisa. O jogo possui uma quantidade absurda de pratos e cada um vai te pedir uma combinação diferente de botões. Às vezes você só precisa apertar o que foi pedido, em outros momentos precisa ter uma sequência específica e em outros você precisa prestar bem atenção nos detalhes pra não errar o pedido. Em alguns momentos ele parece até um jogo de ritmo sem um ritmo específico.

cook serve delicious 3

À primeira vista, o gameplay parece fácil mas imagine fazer isso pra 6 pratos diferentes ao mesmo tempo enquanto você agiliza pra não atrasar o pedido de ninguém. Além disso, o seu caminhão pode ser atacado por concorrentes querendo te destruir! Cada missão pode te dar até 3 medalhas dependendo do seu desempenho e essas medalhas serves para desbloquear novos locais e avançar na história.

Entre as missões você pode customizar o visual do seu food truck e comprar upgrades. Além disso, antes de cada cada dia você deve escolher os pratos que vão estar disponíveis cumprindo algumas exigências que vão aparecer de vez em quando. Apesar disso, a escolha de pratos me parece mais algo pessoal do que estratégico. Tem pratos que são claramente mais difíceis que outros e no final eles meio que não importam. É aí que entra meu problema com o jogo.

cook serve delicious 3

Atenção aos detalhes que se perde

Apesar de estar cozinhando os mais variados tipos de comidas em Cook, Serve, Delicious! 3?!, você raramente presta atenção no que você está fazendo. Na maior parte do tempo você vai estar navegando e lendo menus tentando fazer o que é pedido da forma mais rápida possível. Todos os ótimos desenhos das comidas e etapas de preparo bem pensadas e que fazem sentido com os controles acabam se perdendo no meio dessa loucura. No final o jogo acaba sendo só navegar por menus e apertar botões que são pedidos.

Essa falta de encaixe entre temática e gameplay acaba deixando o jogo um pouco repetitivo. Isso porque não importa que pratos você escolher fazer, no final as interações vão acabar sendo muito parecidas. Lógico que conseguir melhores medalhas e avançar na história me motivava, mas não o suficiente. O jogo é desafiador no início e existe até um modo chill que deixa os clientes esperando infinitamente. Eu só usava ele quando estava de saco cheio e precisava conseguir medalhas, porque ele tira toda a diversão do jogo.

Mas se tem algo que me motivou a continuar jogando foi a maravilhosa trilha sonora de Jonathan Geer. Ela é fácil uma das melhores trilhas que ouvi esse ano. A trilha ajuda a deixar o jogo até mais relaxante durante os momentos que eu estava estressado tentando acertar os pedidos. Sério, escutem essa música do menu.

Veredito

Cook, Serve, Delicious! 3?! é um simulador de cozinha com coração. A preocupação com uma história, forma de preparo das comidas e com os detalhes é de se parabenizar. Cada prato tem uma descrição, processo imersivo e arte que vai te deixar com água na boca. Infelizmente esses detalhes acabam se perdendo nas mecânicas do jogo que se resumem a apertar botões rapidamente em uma ordem correta. Mas todo jogo não se resume a isso? Claro! O problema aqui para mim é que a ambientação não se encaixava com os sistemas do jogo, deixando tudo muito repetitivo. Mas, se você curte um jogo frenético que vai testar seus limites enquanto escuta uma maravilhosa trilha sonora, pode ir fundo.

Deixe um comentário