Filmes

Um Lugar Silencioso: John Krasinski elogia Millicent Simmonds em vídeo inédito do filme

Edipo Pereira

5 abr, 2018

Distribuído pela Paramount Pictures, suspense estreia dia hoje em todo o Brasil

Para viver a filha deficiente auditiva dos Abbotts, em Um Lugar Silencioso (A Quiet Place, 2018), da Paramount Pictures, que estreia hoje no Brasil, o diretor e protagonista John Krasinski queria uma atriz que pudesse transmitir uma verdade. Por isso, um dos grandes desafios de produção foi encontrar a pessoa ideal para interpretar Regan, segundo Krasinski, que sempre quis uma atriz deficiente auditiva para o papel.

- Me deparar com Millicent Simmonds foi uma das melhores coisas que aconteceram nesse filme - conta. "Não só porque ela é uma atriz fenomenal, não só porque ela é a pessoa mais sensata e angelical que existe, mas porque ela foi tão generosa com suas experiências e conhecimento da cultura dos surdos e da linguagem de sinais. Ela nunca se sentia intimidada, costumava dizer na lata como Regan ia fazer as coisas e que era assim que se comunicava", elogia o diretor.

O longa narra a história de uma família que precisa se manter em total silêncio para sobreviver a uma ameaça que pode atacá-los ao menor sinal de barulho. Em vídeo inédito, Krasinski e Emily Blunt descrevem o prazer de trabalhar com a jovem atriz. “Foi realmente incrível ver o trabalho dela porque ela faz algumas cenas muito assustadoras”, revela Blunt. “Você vai se sentir assustado de uma maneira muito real”.

Através da linguagem dos sinais, MIllicent conta mais detalhes da produção. “No set, tivemos um mentor para surdos, um professor de língua dos sinais americana e todos começaram a aprender juntos a linguagem dos sinais”. O elenco inteiro aprendeu a língua dos sinais no set com o consultor Douglas Ridloff, o que foi fundamental para criar uma conexão ainda maior com a atriz e a personagem.

-  Quando eu conversava com Millie, percebia que nunca tinha olhado para uma pessoa por inteiro do jeito que ela faz", analisa. "Nunca vi ninguém enxergar todo o meu ser e absorver quem eu sou. Ela olhava minhas mãos, minhas sobrancelhas, estava de fato lendo minhas emoções. Eu quase chorava todo santo dia porque ela observa você inteiro e isso tem algo de poético e comovente. Era muito importante para a gente estar à altura dela porque ela tem uma alma linda", derrete-se.

Além de dirigir e atuar, Krasinski assina também o roteiro, ao lado de Bryan Woods e Scott Beck. E o renomado diretor Michael Bay é um dos produtores do filme, junto com Andrew Form e Brad Fuller. O longa estreia no Brasil nesta quinta, dia 5, em mais de 500 salas.

Deixe um comentário