Foram duas dúzias de filmes produzidos pela Marvel Studios que culminaram em Vingadores: Ultimato, filme que marca – de modo épico – o desfecho do MCU como conhecemos e também do cinema como um todo. O longa, que já é um sucesso de bilheteria antes mesmo da estreia, chega para coroar um esforço conjunto de 11 anos de trabalho, onde nomes como Kevin Feige, Joss Whedon, James Gunn, Joe e Anthony Russo mantiveram um universo compartilhado funcionando de forma coesa.

No entanto, as dificuldades narrativas para se manter um projeto desse, algo nunca visto na história do cinema, são imensas, além de limitadoras. Isso porque, para desenvolver o texto de um filme da Marvel Studios, os roteiristas precisam, além de levar em conta o material de origem impresso nos quadrinhos, saber detalhadamente todos os passos dados no MCU até aqui. Tudo isso para criar uma história que não atropele o que já aconteceu, e não prejudique o que está por vir.

Nesse prisma, faz todo sentido que Kevin Feige e a Marvel Studios dê um tempo de grandes eventos no cinema após Vingadores: Ultimato.

O grande motivador disso tudo seria a promoção do Disney+, vindouro streaming da Casa do Mickey que vai apostar nas suas propriedades para se estabelecer nesse mercado liderado hoje pela Netflix. Desse modo, podemos esperar muitas produções baseadas nos personagens Marvel, Star Wars, Pixar etc.

A recente aquisição da FOX é outro atenuante, tanto para o Disney+ quanto para a Marvel Studios. Da FOX vêm os sonhados Quarteto Fantástico e os mutantes X-Men, que terão desfecho no cinema com Fênix Negra. Vale lembrar que com essa aquisição a Disney se torna dona majoritária do serviço de streaming Hulu.

Criar séries pontuais como as já anunciadas Falcão & Soldado Invernal, Gavião Arqueiro, WandaVision e Loki permitirá a Kevin Feige e sua turma planejar um modo tranquilo e gradual de introduzir mutantes e quarteto no MCU. Enquanto isso, filmes como Os Eternos e Viúva Negra preenchem a agenda dos cinemas. A princípio, não parecem ser filmes que irão definir o futuro, mas sim histórias mais fechadas.

Esse clima de mistério é chancelado pelo fato de não termos em Vingadores: Ultimato nenhuma cena pós-créditos para especular o futuro. Há alguns pontos no próprio filme que servem para isso, mas ainda no âmbito do que está por vir no Disney+. Só nos resta esperar os próximos passos.