Finalmente chegamos ao desfecho de Marvel – Punho de Ferro, quarta série da parceria entre Marvel e Netflix que culminará futuramente na união dos Defensores. Algumas conclusões a respeito da série já podem muito bem serem expostas, sendo que tratamos de todas ao longo dos últimos 12 reviews, cada um dedicado a um capítulo da série. Foi um caminho árduo, assim como deve ser derrotar um dragão imortal.

Dragão brinca com fogo

O episódio tem início com Harold Meachum (David Wenham) optando por aparecer publicamente após anos dado como morto. Nesse momento uma nova participação de Jeri Hogarth (Carrie-Anne Moss) após um bom tempo sumida na série, buscando defender Danny Rand (Finn Jones) das acusações a respeito das drogas no último episódio (já leu nosso review?). Rapidamente o patriarca distribui uma série de ordens e ameaças destinadas ao seu filho, Ward (Tom Pelphrey), que tentou lhe aplicar um golpe novamente, mas ganhou uma nova chance frente à direção da Rand. No mais, numa curta troca de diálogos ele admite ao filho que tem armado para Danny desde muito tempo, bola cantada aqui há muitos episódios atrás. A dinâmica entre os Meachum está bem desgastada, inclusive com Joy (Jessica Stroup) que retorna do hospital.

Claire Temple (Rosario Dawnson) reaparece aqui e é usada como gancho para reunir Danny e Colleen Wing (Jessica Henswick) com Hogarth, que o aconselha a respeito de como provar sua inocência frente as acusações.

“Não é mistério por que você é um Punho de Ferro ruim, você não entende o seu próprio caminho”

Danny decide ir atrás de Madame Gao (Wai Ching Ho), que está detida na sede da Tentáculo, em busca de informações que possam ajudá-lo. Lá, ele descobre a grande verdade sobre a morte dos seus pais: tudo plano de Harold. Um tanto óbvio desde o começo da temporada, é curioso como Danny acredita facilmente nas palavras dela, por mais que façam todo sentido. A partir daí, temos mais uma dose do garoto mimado “que pode derrotar qualquer coisa” e que irá matar. Já passamos por esse processo umas três vezes em Marvel – Punho de Ferro, e essa repetição de dilemas não acrescentou muita coisa à curva de aprendizagem de Danny.

O acerto de contas ocorre de modo bastante clichê, com direito a luta final no telhado e o chi de Danny de certa forma restaurado. No entanto, Harold acaba morto novamente por Ward (haja ódio paterno!). Como presente, fica para War uma empresa inteira para administrar já que Danny decide voltar para K’un-Lun resolver suas pendencias e terminar seu treinamento, chamando Colleen para ir com ele. Acontece que a passagem está fechada, lembrando que ela só se abre a cada dez anos.

Há um estranho gancho para uma próxima temporada, com Joy e Davos tramando contra a vida de Danny enquanto Madame Gao ouve tudo. Já foi dito que essa liga não será usada na série dos Defensores, então só nos resta esperar para que Punho de Ferro seja renovada.

Assim finalizamos nossa jornada, continue acompanhando o CosmoNerd para mais materiais sobre a série em breve, como o que esperamos para Os Defensores uma vez que todos os heróis já foram apresentados, assim como o que queremos numa eventual segunda temporada de Marvel – Punho de Ferro. A série teve muitos problemas sim, mas o saldo aqui foi positivo.

Bônus: NerdVerso sobre Punho de Ferro – Falamos sobre a série também em nosso canal no YouTube, onde fizemos uma breve análise junto com alguns elementos que podem ajudar a melhorar uma eventual segunda temporada. Confira abaixo:

Patrocinado

Comentários