O que acontece com Sense8?

A pergunta encabeçada neste texto não é vã, inclusive foi sugerida pelos próprios Wachowski. No último episódio, intitulado “Aposte tudo na magrela”, tivemos que aturar algo arrastado e monótono mas que conseguiu se redimir com um final digno protagonizado por Sun Bak (Bae Doona), mostrando ao mesmo tempo como a conexão entre os sensate pode ser usada de forma prática para um fim muito específico: chutar bundas!

No episódio 4 de Sense8, intitulado “O que está acontecendo”: O destino de Nomi (Jamie Clayton) se aproxima, a sorte de Capheus (Aml Ameen) e Wolfgang (Max Riemelt) parece ter mudado, e Sun se depara com uma escolha impossível.

poster de sense8O núcleo alemão oferece um pouco do céu e inferno que podemos tirar da série. Ao mesmo tempo que o começo do episódio oferece um diálogo de qualidade na biblioteca enquanto Wolfgang tenta vender suas jóias juntamente com seu parceiro Felix (Max Mauff), o arrombador de cofres também passa por mais uma cena de conexão involuntária na passagem do restaurante. Quando Nomi está com os braços amarrados em outra parte do mundo, Wolf se vê na mesma situação por alguns segundos. Essa cena exemplifica o erro que os Wachowski cometeram na narrativa da série, com cenas que não surpreendem mais o telespectador e muito menos servem como alívio cômico, principalmente depois do final do terceiro episódio de Sense8 onde Sun mostra uma conexão muito mais interessante.

Por falar na coreana, novamente ela é o principal destaque de “O que está acontecendo?” mesmo sem brigar. A personagem ganha mais alguma profundidade através de flashbacks que mostram o quanto foi difícil perder sua mãe e suportar a rejeição vinda do seu pai, que concentrava suas sua atenção no filho homem para herdar o nome da família e todas as responsabilidades que isso traz. Mesmo não sendo um arco muito bem desenvolvido, a falta de vislumbre do que pode vir dessa situação desperta curiosidade de certa forma, mais pelo carisma de  Bae Doona.

Na Índia acompanhamos um conflito cultural que surge com o noivo e o sogro de Kala (Tina Desae), onde a garota percebe que além de não amar o dito cujo, pai e filho podem representar uma ameaça aos bons costumes indu com seu discurso de modernidade. Pouco é mostrado, no entendo, assim como acontece com o núcleo de de Capheus ‘Van Damme’.

Ao som de “What’s Up” da banda 4 Non Blondes é que a cena mais legal de “O que está acontecendo?” ocorre. Todos os sensate cantam a música juntos aparentemente de forma despretensiosa, mas serve como alívio para antecipar a fuga de Nomi, que estava detida no hospital e prestes a sofrer uma lobotomia mais do que involuntária. É interessante o ciclo dos fenômenos pop: a canção supracitada tocou à exaustão nas estações de rádio durante a década de 1990, e ao observar a reação ao episódio 4 de Sense8 fica claro o desconhecimento da maioria das pessoas, que ficaram empolgadas e querem adquirir a música para escutar novamente. E “What’s Up” é daqueles hit que demoram pra sair da cabeça, seja por bem ou por mal.

Seriam os irmãos Wachowski a “What’s Up” do mundo cinematográfico? Encerramos com o videoclipe da música:

Sense8 está disponível para os assinantes Netflix.