Legion s01e04 | Review

0

Legion retoma sua loucura habitual e oferece um excelente episódio, com novos personagens e possibilidades para a reta final

Se o capítulo anterior de Legion (leia aqui nosso review) deu muita ênfase ao terror e suspense, aqui as coisas mudam um pouco de forma com mais investigação, ação e confusão temporal. Antes disso, no entanto, somos apresentados a um novo personagem: Oliver Anthony Bird (Jemaine Clement). Obviamente, o nome remete a Melanie Bird (Jean Smart), a líder dos mutantes em Summerland, onde Oliver está aparentemente preso numa espécie de iceberg, sem memória e tecendo a respeito de medo e empatia.

Essa introdução já serve para quebrar com qualquer medo deixado a respeito de uma possível simplificação da série em termos estruturais. Então, se você gosta de Legion justamente pelo modo que é reproduzida a peculiar mente de David Haller (Dan Stevens), incluindo nesse balaio toda a inventividade do criador da série, Noah Hawley, pode ficar tranquilo. Caso esteja sendo paciente e esperando algo diferente, que tal começar a assistir Legion sob uma nova ótica?

Neste capítulo, o pessoal de Summerland finalmente entendem que anteriormente eles não estavam nas memórias passadas de David, mas sim em seu subconsciente, mais precisamente num plano astral, com direito a um termo específico para essa habilidade do protagonista: projeção psíquica para criar uma realidade paralela. Isso faz com que locais revisitados do passado do Legião sofra algumas pequenas, porém potencialmente significativas alterações nos cenários visitados, como uma cortina diferente.

Para resolver o problema (uma vez que David não acordou mais após o fim do episódio 3) o pessoal de Summerland precisará agir correndo o risco de se expôr à Divisão Três. Tanto risco se justifica por David se tratar de alguém muito importante e especial, que Bird pretende ajudar para depois usá-lo a seu favor.

É a partir daí que descobrimos mais sobre Oliver Bird. Ele é marido de Melanie e seu corpo se encontra dentro de um traje de mergulho, inconsciente e guardado no subsolo de Summerland numa câmara muito gelada. Descobrimos mais, mas não que isso faça muito sentido (por enquanto). Ao menos podemos conferir o excelente encontro de Oliver com David no plano astral, rendendo uma cena com poderosos diálogos.

David só inicia o episódio de fato a partir da metade, e é a partir da sua chegada que a intensidade dos acontecimentos aumenta, fazendo com que esse episódio de Legion termine lá no alto. Syd (Rachel Keller) mais uma vez mostra como funciona seus poderes de troca de corpo, e vemos que a irmã de David está sendo mantida em cativeiro junto com o médico que o atendia no hospício (numa prisão totalmente fora dos padrões conhecidos, mas isso já é algo redundante aqui). É legal também poder entender melhor e de forma orgânica como funciona a mutação de Cary/Kerry Loudermilk (Bill Irwin/Amber Midthunder).

Para o caítulo 5 as coisas estão muito abertas, onde a série pode rumar para diversos caminhos de modo que não fiquemos cansados. Essa reta final de Legion Promete! Confira o trailer do próximo episódio que vai ao ar dia 9 de março:

Larysa Kondracki (que já dirigiu episódios de Better Call Saul e Gotham) comanda as rédeas aqui, a partir do texto de Nathaniel Halpern. Legion vai ao ar às quintas-feiras no canal FX.