Game of Thrones s06s05 (The door) | Review

467
Hodor criança caído no chão e sua mãe o acudindo

Voltamos para mais um episódio de Game of Thrones. Nessa semana tivemos algumas revelações, viradas importantes na trama e um triste adeus.

Mindinho indo embora e Sansa sem olhar para seu rosto

A primeira cena já nos pega de surpresa e confirma que o Mindinho realmente tem uma carruagem mágica ou se teletransporta. Como ele foi parar na Muralha tão rápido? Deixando isso de lado, a cena foi ótima mostrando novamente Sansa finalmente tomando as rédeas da sua vida e confrontando Petyr. O homem, que é perdidamente apaixonado por ela, ficou totalmente sem reação e até deu umas boas dicas. Sansa então usa seu conhecimento para planejar o ataque à Winterfell e guardando alguns detalhes para si, como aprendeu com seu mentor. É bom ver que veremos o Peixe Negro novamente na série, ele é um personagem bem legal. Foi meio triste eles não citarem os Forrester (família juramentada aos Stark que você controla no jogo da Telltale) na cena onde estão falando as famílias que podem ajudar.

Theon e Asha lado a lado de armadura

Começando as coisas importantes que foram rápidas demais, temos o Kingsmoot dos Greyjoy. Theon confirma sua lealdade e apoio à sua irmã, talvez como uma forma de se redimir e se desculpar por Robb de alguma forma, agora ele quer servir a alguém e não trair a confiança dos seus. Ele não tem mais confiança em si para ser rei, então vai pelo menos ajudar a irmã. O problema dessa cena é que eles resumiram demais esse processo político em um debate super rápido. Euron chega do nada e já consegue o apoio de todo mundo, o fato de ele falar que matou o antigo rei foi um ponto a seu favor pois é assim que os homens de ferro pensam, mas de toda forma ele era alguém que nem estava ali e só tinha muito papo, até apelando nas piadas de eunuco de novo.

O destino de Jorah também foi definido aqui, numa cena que deveria ser emocionante mas foi muito morna, mal dirigida. Será que ainda veremos o ândalo na série ou isso foi uma despedida? Enquanto isso, Arya continua treinando…mas pelo menos já foi mandada em uma missão. Não sei vocês, mas achei divertida a representação dos personagens ali naquele teatro, mesmo sendo bem tenso a Arya acompanhar aquela cena traumática novamente.

Um homem amarrado na árvore e uma criança da floresta na sua frente

A minha maior reclamação do episódio foi a explicação do nascimento dos White Walkers…um dos maiores mistérios da história foi revelado assim, de forma rápida e sem muita emoção. Depois o líder deles já descobre onde Bran está e 5 minutos depois ele já tá na porta! Pelo menos isso serviu para termos a melhor cena do episódio e uma das mais emocionantes da série. Hodor morre de forma heróica e temos a explicação da sua condição, com direito a paradoxos temporais e tudo. Apesar de que é meio furo de roteiro o fato que os pais de Bran nunca comentaram o dia em que Hodor começou a ficar daquele jeito, eles não tinham motivo nenhum para esconder isso das pessoas. Para quem ficou em dúvida, ficou confirmado que a explicação do nome veio do próprio Martin, e pelo menos essa cena foi bem feita na série.

Agora fica a dúvida de o que Bran vai fazer a partir de agora, o que deu a entender é que o Corvo de Três olhos tentou passar todo o conhecimento para Bran ali na hora, mas estamos muito no escuro, não dá pra saber o que ele sabe ou o que ele terá que fazer. Fica também o questionamento sobre esses paradoxos temporais, será que veremos Bran influenciando o passado novamente? Será que é assim que ele vai poder salvar o mundo? O episódio teve um início e final muito bons mas o resto foi bem mal dirigido e apressado, jogando fora várias cenas que poderiam ser bem feitas, vamos aguardar que isso não aconteça mais.