Charles Luis Castro

23 abr, 2021

Séries

Com uma pegada de podcast de terror sci-fi, Calls é uma série hipnotizante

Terror e Ficção Científica são dois gêneros amados, não importa em qual mídia sejam reproduzidos. O interessante é que basta misturar uma boa ideia e uma dose de esforço para que ótimos produtos sejam criados. E mesmo vivendo períodos de altos e baixos, inúmeras produções surgem todos os anos. Algumas parecem copiar fórmulas já estabelecidas, visando uma recepção imediata do público. Porém, existem aquelas que optam por seguir um caminho diferente. Calls, produção original da Apple TV+, possui uma estrutura simples num primeiro olhar, mas é extremamente interessante em sua execução.

Comandada por Fede Álvarez, baseada na produção francesa criada por Timothée Hochet, Calls é uma espécie de audiodrama que mescla elementos de terror e ficção científica. Com 9 episódios com cerca de 20 minutos de duração, o público irá assistir uma série de ligações entre personagens que vivenciam experiências estranhas e angustiantes. E, mesmo que pareçam deslocadas tematicamente, as histórias possuem o mesmo pano de fundo. Em tela, o que temos é a transcrição dos diálogos acompanhadas de animações que muito lembram protetores de tela do Windows Media Player. Com um segmento visual bastante minimalista, a produção exige do espectador uma atenção maior. Esse esforço é recompensado com momentos genuinamente arrepiantes, como se estivéssemos vivenciado os acontecimentos.

A presença do uruguaio Fede Álvarez na direção dos episódios e nos roteiros contribui para esse clima de tensão bem desenvolvido. Marcado por longas como o remake de A Morte do Demônio e O Homem nas Trevas, ele consegue equilibrar as vertentes principais do programa. O medo, portanto, é constante. Tanto pelas situações incomuns quanto por relatos desesperados dos personagens. E mesmo as passagens de menor qualidade não afetam o resultado final.

Como não existem rostos na tela, o trabalho de vozes do elenco acaba sendo o grande diferencial. Aqui, nomes como Aaron Taylor-Johnson, Aubrey Plaza, Pedro Pascal, Rosario Dawnson e Karen Gillan emprestam seu talento vocal para contribuir com a qualidade do projeto. Vale destacar que a dublagem também está muito bem feita. Apesar dos acertos, Calls possui alguns problemas. O principal deles reside na necessidade de entregar todas as explicações possíveis. Os dois últimos episódios se conectam justamente para resolver todo o mistério da trama. Apesar de uma resolução interessante, o excesso de didatismo incomoda. Nesse caso, deixar teorias na cabeça do público poderia ser uma saída melhor.

Em linhas gerais, Calls possui um frescor criativo e narrativo. Em tempos de grandes produções surgindo diariamente nos streamings, um pouco de simplicidade tem seu charme. Com um bom diretor e bons atores, esse podcast de terror sci-fi merece sua atenção por algumas horas.

Deixe um comentário