O diretor Andrew Dominik vem há anos tentando fazer decolar sua cinebiografia sobre Marilyn Monroe. E agora parece que Dominik definiu sua Marilyn. Segundo o Collider, a cubana Ana de Armas, que interpretou Joi em Blade Runner 2049, é a favorita para assumir o papel. Fontes afirmam que mesmo que a atriz não tenha ainda contrato assinado, ela é a principal escolha, desbancando nomes como Naomi Watts e Jessica Chastain.

O projeto, que será produzido pela Netflix, pretende adaptar o aclamado romance homônimo de Joyce Carol Oates. Nele, acompanhamos a ascensão de Marilyn Monroe, mostrando seus relacionamentos fracassados e tragédias envolvendo sua vida pessoal.

Empolgado com o projeto, Dominik diz que “será um dos dez melhores filmes já feitos”. E completa: “É um filme sobre a condição humana. Conta a história de como um trauma de infância molda um adulto que está dividido entre um ser público e um privado. É basicamente a história de todo ser humano, mas está usando um certo senso de associação que temos com algo muito familiar, apenas através da exposição na mídia. Ele pega todas essas coisas e transforma os significados delas de dentro para fora, de acordo com o que ela sente, que é basicamente como nós vivemos. É como todos nós operamos no mundo. Parece-me muito ressonante. Eu acho que o projeto tem muitas possibilidades realmente interessantes, em termos do que pode ser feito, cinematicamente”.

A produção do longa, que ficará por conta da Plan B de Brad Pitt e Dede Gardner, ainda não possui previsão de lançamento.