A 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo chegou ao fim, deixando saudades, gosto de quero mais e a reflexão sobre a necessidade por mudanças significativas. Nessa lista separamos as melhores coisas do evento. Lembrando que por ventura algum item dessa lista pode se aplicar às bienais do livro que ocorrem em outras cidades como Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Livros Baratos

bienal-do-livro-sp-300x222Alguns descontos são bem mentirosos, onde os expositores se beneficiam da atmosfera consumista para vender livros a preços normais. Mas se tivermos paciência e um filtro coerente para escolher, os resultados aparecem. Alguns sebos vendiam a mesma edição de um livro pela metade do preço do estande da editora por exemplo (e eram livros novos). Algumas editoras, por sua vez, faziam uma verdadeira queima de estoque com produtos de qualidade a R$ 10 e R$ 5 de autores como André Vianco, George R. R. Martin, Afonso Solano, Raphael Draccon e Eduardo Sphor.

Brindes e Promoções

neuromancerSe você gosta de revistas, há diversas opções de assinatura que saem muito mais em conta na Bienal. Na verdade você vai ter que se esquivar de alguns vendedores insistentes demais. Há também os clássicos marca-páginas, que acabam virando uma luta à parte em determinados estandes, e a chiadeira é enorme quando se esgotam. Mas o melhor da bienal nesse sentido é poder levar pra casa coisas únicas como o belo poster da capa de Neuromancer (William Gibson, imagem acima) e Os Sete (André Vianco), após gastar determinada quantia na Aleph.

Atrações

Wondercon-iron-throne-sheriffO icônico trono de ferro da série Game of Thrones já virou arroz de festa em eventos, mas é sempre legal sentar nele e se sentir o maioral dos sete reinos mesmo que por alguns segundos, ao custo de um tempo na enorme fila. No estande da Mauricio de Sousa Produções havia uma Mônica gigante para os fãs tirarem foto junto, assim como jogos interativos. Na Comix, diversos action figures maravilhosos ficam nas prateleiras enquanto escolhemos quadrinhos para comprar.

Amizades

14248912_1114228795326339_1298445697_nSe você quiser ir na bienal comprar suas e coisas e ir embora logo, é possível. Mas também há espaço para conhecer pessoas e cultivar amizades e/ou contatos profissionais, basta estarmos abertos e receptivos: tem muita gente legal e com conteúdo a oferecer ao mundo por lá, seja nos finais de semana onde o clima é mais familiar ou até mesmo nos dias comerciais, onde as excursões escolares dominam. Gente de todo canto vem pra bienal (encontramos uma excursão de autores de Montes Claros – Minas Gerais!) fazendo assim com que o evento cumpra um de seus propósitos: conectar amantes de livros.

Palestras

imageAs palestras e bate papos são o que há de melhor na bienal, onde podemos conhecer melhor determinada pessoa como um autor ou então se aprofundar em temas variados. Nessa bienal havia diversos espaços destinados a isso como a Arena Cultural BNDES que recebeu Mauricio de Sousa, Jout Jout, Iberê, Leandro Karnal, Raphael Draccon, André Vianco… tem pra todos os gostos. Uma iniciativa positiva foi o Sesc Editorial onde eram promovidos diversos bate-papos sobre esse mercado, algo interessante até para quem não trabalha na área.

Comida e Conforto

maxresdefault (1)Os preços não são muito convidativos, mas há diversas opções gastronômicas na hora da refeição. Black Dog, Domino’s, Vivenda do Camarão, Bob’s são alguns dos exemplos. Na hora de relaxar, havia massagistas de prontidão cobrando uma quantia mínima. E dava até para ouvir um som e carregar o celular nos postos do Spotify. Pra quem não gosta de fones de ouvido, a programação oferecia diversas ramificações culturais como repente com apoio da Câmara Cearense do Livro.

Autógrafo

DSC07555Conseguir autógrafos dos autores favoritos é um dos grandes fetiches do público, e na bienal não é diferente. A ruma de youtubers (Gusta, Mandy, Jout Jout etc) cumpriram seus papéis atendendo os fãs com muita disposição, junto com autores da fantasia nacional como os já citados André Vianco e Raphael Draccon. As celebridades mais concorridas demandavam senha online (em quantidade limitada) para não se formar filas intermináveis, já com outras era só colar nos estandes mesmo.

Esses foram os pontos positivos do evento. Continue acompanhando o CosmoNerd na Bienal!