Lego continua sendo uma peça cheia de encaixes

0
72

Lego por si só já me traz lembranças com cheiro de infância. Não que eu tivesse muitos. Sempre foi caro e meus pais já compravam para mim bonecos dos “Comandos em Ação”. O que importa mesmo é que ao assistir a animação “Uma Aventura Lego 2”, não tem como não se lembrar das vozes que eu inventava para os bonecos e de como eles ganhavam vida nos quartos das crianças felizes dos anos 90.

O filme tem bons acertos. Um deles é a técnica, na mesma linha do primeiro filme, que usa animação 3D com alguns momentos em stop motion. Mesmo quando as cenas não tem stop motion a própria animação mantém um certo ritmo de movimento dos personagens que remete a técnica. No mundo onde se passa boa parte do filme a animação é mais fluída, quando os bonecos estão no mundo da nossa realidade e interagindo com objetos reais ou atores das cenas de live action o stop motion reina.

Além disso, o roteiro, que tem na equipe Phil Lord o mesmo de “O Homem-Aranha no Aranhaverso”, consegue ter boas piadas e muitas referências a outros filmes como “Mad Max”, “Parque dos Dinossauros”, “Senhor dos Anéis” e, principalmente, a própria carreira do ator Chris Pratt que da voz ao personagem principal Emmet. Quando Chris foi chamado para dar voz no primeiro filme, ele ainda não era tão famoso e tinha acabado de passar na seleção para fazer “Guardiões da Galáxia”. Como ele se aproximou dos roteiristas de “Lego”, resolveu permitir que sua vida poderia ser utilizada para fazer piadas no filme. O que acontece algumas vezes em “Lego 2”.

Chris Pratt em Lego

Emmet que é a representação da esperança, da felicidade e da força de vontade se torna mais uma vez o herói. As cenas dos atores em live action, cinco anos mais velhos do que no primeiro filme, trazem um toque de humor e também de emoção. A velha relação entre crianças e seus brinquedos que me fizeram chorar em “Toy Story 3”, retorna, ainda que menos intensamente, em “Uma Aventura Lego 2”.

Talvez não tenha dado tempo de me emocionar porque estava rindo demais das sacadas e tentando entender todas as referências. Atenção! Não deixem de assistir todo o clipe de créditos finais que com uma música muito boa e uma letra extremamente metalinguística faz você rir enquanto os nomes da equipe passam na tela.

“Uma Aventura Lego 2″ traz a receita da boa animação para adultos e crianças, uma história sem muita pretensão que diverte e, sobretudo, mantém o “legado de lego”. O que faz com que eu, um marmanjo na casa dos 30, se encante pelo mesmo brinquedo de uma criança, tão nova que não viu o Brasil ganhar nenhum título em Copas do Mundo.