Opinanerd

A vida curta de Marco Polo

Charles Luis Castro

13 dez, 2016

Uma situação incomum nos corredores da Netflix é o anúncio de cancelamento de uma série. Geralmente, os fãs clamam para que a gigante do serviço de streaming salve alguma produção que não teve vida longa em algum canal. Mas e quando o inverso acontece? Não significa que seja algo inédito, já que títulos como Hemlock Grove e Bloodline também já disseram adeus (embora tenham ganhado uma última temporada para resolver a história).

Mas pegando vários fãs de surpresa, a Netflix anunciou que Marco Polo também será encerrada. Algo que parecia fora de questão, pelo menos em termos oficiais. A segunda temporada apresentou um salto de qualidade na produção, especialmente na trama e nas atuações. Além de contar com momentos grandiosos e um gancho no último episódio que aumentava as expectativas para um vindouro terceiro ano. Que agora foi completamente enterrado.

Entre os destaques, a atuação de Benedict Wong como Kublai Khan sempre chamou a atenção. Com seu personagem alternando entre momentos de fúria, luxúria, sabedoria, frieza e paixão. Uma cena em especial, na segunda temporada, merece o pódio entre as mais chocantes do ano. Se me pedissem um motivo para acompanhar Marco Polo, Wong seria o escolhido.

Os quesitos técnicos também se destacavam, como fotografia, figurinos e a escolha das locações. Tudo pensado para agregar um valor histórico para a série. Os fãs de lutas e batalhas também encontravam em Marco Polo um lugar familiar, sendo elementos característicos das duas temporadas. Mas as coisas não estavam tão bem assim nos bastidores.

6e6bda097aad1752118cf23b0a6db03c112e61e9

Quando a Netflix anunciou um especial do Cem Olhos, mestre marcial de Marco, os fãs imaginavam que a empresa estava investido mais em uma de suas primeiras grandes séries. Mas a verdade é que a iniciativa era uma espécie de pedido de desculpas, já que a produção do segundo ano estava atrasada.

Com a primeira temporada saindo em 2014 e a segunda apenas em julho desse ano, era claro que algo estava errado. Mas não se pode negar que a Netflix investiu pesado em Marco Polo, o que é apontado como um dos principais motivos do cancelamento. Se hoje The Crown é dona do título de série mais cara da empresa, vale lembrar que Marco já havia vencido antes.

Na época do lançamento, o orçamento era estimado em 90 milhões de Trumps. Um valor e tanto, especialmente se lembrarmos que a empresa ainda estava iniciando seu processo de criação massiva de conteúdo original. Muito se comentou que Marco Polo era uma tentativa de rivalizar com grandes séries do momento, como Game of Thrones. Um objetivo extremamente ambicioso, que cobrou seu preço depois.

Segundo informações do The Hollywood Reporter, Marco Polo representou um prejuízo de 200 milhões de Trumps aos cofres da Netflix. Um rombo e tanto, que deixaria até os grandes estúdios de Hollywood com cara de poucos amigos. Esse foi o sinal de que era inviável manter a produção da série, por melhor que ela estivesse.

marco-polo-netflix-original

A crítica e boa parte do público também não colocaram Marco Polo em sua lista, o que agravou o problema. Curiosamente, o projeto estava destinado ao canal Starz em 2012, mas acabou nas mão da Netflix. Agora representa um alívio nos cofres da empresa, que está focada na produção de conteúdo original e promete um caminhão de lançamentos nos próximos anos.

De qualquer forma, Marco Polo sempre estará na grade de séries da Netflix. Uma boa oportunidade para quem nunca viu e uma chance para os fãs prestarem suas últimas homenagens.

Deixe um comentário