Opinanerd

Liga da Justiça Sombria: o filme que Guillermo Del Toro merecia dirigir

Charles Luis Castro

6 set, 2016

Guillermo Del Toro possui uma das mentes mais criativas de atualidade, um cara que realmente ama o que faz. Basta conferir seus filmes para ter uma ideia do que estou falando. As histórias mirabolantes que saem de sua cabeça, o apreço pelos detalhes e a deliciosa mistura de efeitos práticos e especiais são suas marcas registradas. Mas como a vida não é nenhum pouco justa, Del Toro carrega consigo uma quantidade considerável de azar. Muitos afirmam que falta em seu currículo um grande “arrasa quarteirão” para colocá-lo de vez na lista dos grandes. Infelizmente, os grandes estúdios nem sempre estão com a mão aberta para investir em suas obras.

Lá em meados de 2012, muito antes desse papo de universo cinematográfico da DC Comics, seu nome já estava relacionado com a adaptação para as telonas da Liga da Justiça Sombria. Filmes como Espinha do Diabo, O Labirinto do Fauno e os dois Hellboy mostraram que o mexicano sabe trabalhar com o sobrenatural e encaixá-lo dentro de um mundo, digamos, cético. Era a escolha perfeita para levar John Constantine e seus amigos para a telona. Acontece que as coisas não saíram como planejadas. Ao longos dos anos foram indas e vindas, e até mesmo rumores de cancelamento. Depois de muitas versões, Guillermo Del Toro anunciou em seu twitter que havia terminado o roteiro do filme e que estava nas mãos da Warner Bros.

Foi seu último ato como alguém envolvido no filme. Pouco tempo depois, durante uma entrevista, ele afirmou que estava fora do projeto. “A Warner gostou do meu script. Eles estavam muito entusiasmados e queriam aprovar o projeto, mas as gravações seriam na mesma época da filmagem de Círculo de Fogo 2. Eles me colocaram em uma situação muito difícil, e eu escolhi fazer Círculo de Fogo 2”. Sim, você leu Círculo de Fogo 2. Del Toro nem imaginava que o filme cairia num limbo por um bom tempo. Tudo por causa de uma treta envolvendo Legendary, Universal e Warner Bros. No fim das contas o filme vai sair, mas ele não será mais o diretor. Lembra do azar? ¯\_(ツ)_/¯

Leia também: O conturbado renascimento de Círculo de Fogo.

110207_r20497_g2048-1200-1024x728

Com o recente anúncio do longa animado, muitos imaginaram que o live action da Liga da Justiça Sombria estava mesmo fora dos planos. A animação vai adaptar o arco In The Dark, primeira história da equipe publicada nos Novos 52. Nela, a Magia (aquela de Esquadrão Suicida) desce o sarrafo na Liga da Justiça (com Batman, Superman e tudo mais). Com o mundo desprotegido, John Constantine reúne alguns personagens místicos para resolver o problema. Ao lado de Zatanna, Desafiador, Madame Xanadu e o Homem Mutável, ele monta a Liga da Justiça Sombria. Rumores antigos apontavam que esse seria o plot do longa comandado por Guillermo Del Toro, com algumas mudanças pontuais.

Com a Magia aprontando das suas em Esquadrão Suicida e a Warner cada vez mais disposta em ignorar o assunto, o filme parecia destinado ao esquecimento. Acontece que na última semana essa história teve uma reviravolta e tanto. A Variety surgiu com a informação que Justice League Dark estava vivo e que faria parte do universo de filmes da DC Comics. Porém, o site afirmava que Guillermo Del Toro não teria nenhum tipo de envolvimento com a produção. Nem mesmo seu roteiro será utilizado.

A nova história será escrita por Michael Gilio e fontes afirmam que vai envolver o roubo de livros ancestrais que podem destruir o mundo. Quando descobre o que está acontecendo, Constantine reúne um grupo de pessoas que habilidades místicas. A equipe ainda teria presença de Zatanna, Desafiador e Demônio. Scott Rudin, que trabalhou com Del Toro no antigo roteiro, vai ser o produtor. E a cadeira de diretor será ocupada por Doug Liman. Se não estiver reconhecendo o nome, ele dirigiu No Limite do Amanhã (aquele com Tom Cruise e Emily Blunt). Doug ainda tem no currículo longas de sucesso como A Identidade Bourne, Sr. e Sra. Smith e Jumper. É um cara bastante competente, que encaixa bem o tom entre humor e ação. Algo que a Warner tentou adicionar em Esquadrão Suicida, mas que não saiu como planejado.

Liga-da-Justiça-Sombria-DC-1024x581

Apesar do projeto está em boas mãos, ainda fica aquele gosto amargo de não ver Guillermo Del Toro comandando tudo. Foi algo que fez parte de um tempo considerável de sua carreira e os fãs alimentaram esse sonho junto com ele. Agora resta esperar qual será seu próximo projeto. Ele ainda será o produtor de Círculo de Fogo 2, seguindo na tentativa de encaixar um filme que consiga unir qualidade e uma grande quantidade de Obamas na bilheteria. Qualidade para isso ele tem, só falta a oportunidade perfeita. Bem que o Constantine poderia resolver esse problema do azar…

Deixe um comentário