Opinanerd

A Bruxa de Blair está de volta ao jogo. Mas será que ainda é relevante?

Charles Luis Castro

24 jul, 2016

É legal ser surpreendido de vez em quando. Na era das informações vazadas, divulgações feitas aos quatro cantos da terra e por aí vai, não sobra muito espaço para o desconhecido. Quando filmes conseguem despistar as lentes das câmeras de curiosos e repórteres, ou escapam das garras dos grandes veículos de informação, cria-se a expectativa de que algo bom pode surgir de todo esse mistério. Nem sempre é o caso, mas vale pela tentativa. Esse ano tivemos o incrível Rua Cloverfield 10, "continuação" de Cloverfield - Monstro que ninguém poderia sequer imaginar que estava sendo produzida. J.J. Abrams, a Bad Robot, o diretor Dan Trachtenberg e os envolvidos no filme conseguiram esconder bem a informação. Até mesmo o elenco não tinha uma noção do que estavam gravando.

Eis que em plena Comic-Con os fãs de terror são pegos de surpresa com o anúncio de uma nova continuação de A Bruxa de Blair. O longa, rodado no Canadá entre maio e junho do ano passado, recebeu o título fictício de The Woods e tinha exibição no evento programada para a última sexta feira (22). A Lionsgate, produtora do filme, conseguiu manter o sigilo por mais de um ano. Até mesmo um site e perfis em redes sociais foram criados para The Woods, agora oficialmente apresentado como Blair Witch. A direção fica por conta de Adam Wingard, um dos nomes mais influentes do cenário de terror independente dos EUA.

Caso você não esteja familiarizado com o nome, ele já trabalhou em filmes como Você é o Próximo e nos excelentes V/H/S e ABC da Morte. Junto de seus amigos, ele deu início ao movimento conhecido como mumblegore. Recentemente, Adam dirigiu o episódio piloto de Outcast (nova série de Robert Kirkman, criador de The Walking Dead). Então os fãs mais hardcore podem se acalmar, pois Adam Wingard tem currículo para cuidar desse projeto.

Em Blair Witch, James Allen McCune (Shameless) vive o irmão da personagem feita por Heather Donahue no longa de 1999. Após encontrar gravações antigas, ele parte junto com seus amigos para a floresta de Black Hills, em busca de respostas sobre o desaparecimento de sua irmã e se a lenda da tal Bruxa de Blair é verdadeira. E como você já viu no trailer, eles acabam encontrando o que procuram, pelo menos uma parte. O filme segue o mesmo modelo do original, até mesmo apelando para o found footage (aquele lance de encontrar gravações perdidas e misteriosas).

O primeiro Bruxa de Blair foi responsável direto pela popularização desse estilo, deixando um legado para produções como Atividade Paranormal (e suas várias sequências), REC, Cloverfield e tantas outras que ganham vida todos os dias. Além de ter criado todo um fenômeno de marketing, com o boca boca de que era tudo real e etc. Tudo isso contribuiu diretamente para a bilheteria do filme, que com um modesto orçamento de US$ 60 mil, arrecadando algo em torno de US$ 250 milhões. Um feito que tenta ser emulado por várias outras produções do gênero.

blair_witch2016-screen1

O mais curioso nisso tudo é que Blair Witch pode acabar sendo uma vítima de seu antecessor. Como já disse nesse texto, e você já cansou de ver, o found footage tornou-se um estilo explorado ao máximo pelo gênero do terror. Pela "praticidade" de filmagem, incontáveis longas - a maioria de qualidade duvidosa - aderiram ao movimento. Isso acabou gerando uma bolha dentro do segmento, afinal ninguém mais cai nessa de "gravações perdidas". A Bruxa de Blair já fez isso com maestria.

Então, apesar de toda a empolgação, é triste ver que Blair Witch acaba parecendo com o mais do mesmo que já vimos tantas outras vezes. Nem todos os comentários de "filme mais assustador e blá blá blá" conseguem convencer. Se até o filme original - com toda a sua contribuição - parece esquecido nos dias de hoje, sua sequência vai ter que ralar para se destacar.

Jason Constantine, presidente de compras e coproduções da Lionsgate, comentou que "foi realmente fascinante todo o 'nível de segurança tipo CIA' que colocamos ao redor deste projeto desde o começo". Um esforço realmente louvável, que espero que possa ser recompensado. Blair Witch tem lançamento agendado para  16 de setembro.

Deixe um comentário