Projeto PerifaCon surgiu como resposta aos eventos com temática nerd que praticam preços de difícil acesso aos mais pobres, e deve adotar formato rotativo para atender outras regiões

Quem frequenta um evento das dimensões de uma Comic Con sabe o quanto nosso bolso sofre para aproveitar ao máximo tudo o que eles têm a oferecer. Além dos quadrinhos, motivação primordial e coração da festa representada no beco dos artistas, os preços praticados em outros itens como ingresso, transporte, hospedagem, alimentação, autógrafos, roupas, acessórios e colecionáveis nos fazem chegar a um montante pouco praticável.

Não estou aqui criticando o capitalismo (mas poderia). Quem organiza o evento precisa do lucro, e as empresas que pagam caro pelo espaço lá dentro também. O problema, nesse caso, é a exclusão quase que automática da população menos abastada. Os que conseguem se virar e guardar uma grana merecem elogios, mas e os que não conseguem? Grande parte do público geek / nerd são jovens, daqueles bem novinhos mesmo, entre a infância e o início da vida adulta lá pelos 18 anos.

Fica difícil fomentar a cultura geek, principalmente a nacional, num cenário desses. Nossos artistas estão produzindo muita coisa boa por aí, só que eles precisam de ainda mais contato direto com o público, aquele tipo de afeto que é mais valoroso do que o das redes sociais.

É com esse sentimento que surgiu a PerifaCon, uma feira de livre acesso que será realizada, como sugere o nome, na periferia. O objetivo é promover um envolvimento direto do público com quadrinistas, inclusive os independentes, e artistas em geral. Dessa forma, espera-se que os jovens da comunidade tenham um mínimo de acesso a essa vertente cultural que tanto amamos. Maneiro, não?

O projeto é tocado a partir de voluntários, e os que estão no comando são Matheus Polito Monteiro, Andreza Delgado, Mateus Ramos, Pedro Brandão, Danilo Rodrigo, Giovanna de Oliveira Coelho, o Josivaldo Filho, Pedro Okuyama e o Igor Nogueira. Quem se interessou pelo evento e teria condições de pagar um ingresso, pode apoiar a realização do PerifaCon através de uma doação no benfeitoria. Quanto mais metas forem alcançadas, mais eventos serão realizados, sendo que a intenção é promover uma rotatividade para atender as outras regiões da cidade.

Se quiser saber ainda mais sobre o projeto, confira a matéria do A Coluna sobre o evento, com direito a entrevista com um dos organizadores.

Vamos apoiar! Ser nerd é legal, e unir nossas forças em prol de um evento bacana como esse nos fortalece ainda mais. Até porque, às vezes precisamos pensar um pouco mais em ter um gasto consciente, sem cair nas velhas armadilhas do consumismo. Um evento de grande proporção, que promova a troca de conhecimento entre os amantes da cultura pop, tem tudo a ver com isso.