Edipo Pereira

2 dez, 2016

Hqs e Livros

Cheia de referências e ação, o Futuro Imperfeito de Guerras Secretas também é ótima oportunidade de rever o Maestro

portrait_incredibleVersões alternativas de personagens icônicos existem aos montes no universo dos quadrinhos, e não há como impedir isso quando tratamos do modelo contínuo de publicações estadunidense. Superman, Homem-Aranha, Batman e muitos outros são prova disso, e com o Incrível Hulk não poderia ser diferente. No arco Futuro Imperfeito (1992), Peter David criou, junto com os traços de George Pérez, uma versão do Gigante Esmeralda marcante: o Maestro, algo como o Hulk num futuro distópico, onde a guerra nuclear potencializou seus poderes e subverteu sua moral, transformando-o no mais cruel, poderoso e violento tirano da face da Terra.

future-imperfect2Pois o grande lance de Guerras Secretas: Futuro Imperfeito é revisitar e apresentar a novos leitores esse personagem pouco usado (por motivos óbvios) nas revistas regulares da Marvel Comics. Tudo começa num deserto distante da cidade de Distopia com um Odin maltrapilho encontrado por Rubi Summers, que de prontidão o escala para a resistência contra o Maestro. O problema é que era tudo uma armadilha do próprio Barão de Distopia, disposto a acabar com essa revolta pessoalmente. E para balancear as coisas novamente ninguém melhor do que o Coisa!

Isso tudo é apenas um breve resumo do primeiro capítulo desse Futuro Imperfeito. Não é de agora vermos o embate entre Coisa e Hulk nas HQs, mas dessa vez a história vai trazer boas surpresas, de modo respeitoso à saga original e se reinventando ao mesmo tempo. Isso se torna possível pelo fato do roteiro estar sob responsabilidade do próprio Peter David. O mesmo pode ser dito dos traços de Greg Land, que apesar de não ser George Pérez cumpre seu dever com esmero.

4547724-future_imperfect_1_preview_2Para os nostálgicos há algumas referências, como o salão de troféus do Maestro, a presença de Rick Jones e a própria ambientação em Distopia. Tudo isso passa muito rápido devido à leveza da narrativa, impedindo o devido aprofundamento em algumas questões mas com uma elogiável fluidez. O final é excelente e consegue amarrar muito bem Futuro Imperfeito com a saga principal de Guerras Secretas, onde há a presença do Doutor Destino e o desejo de poder do próprio Maestro em jogo.

No Brasil, a história foi publicada pela Panini na resvista Guerras Secretas: Futuro Imperfeito - Ed. 1 (Future Imperfect 1-5, Revista especial, formato americano, 116 páginas, papel LWC, R$ 14,00).

Deixe um comentário