Becky C.

7 abr, 2021

Hqs e Livros

Será que o Batman prefere gostosuras ou travessuras?

Recentemente saiu a notícia de que vai sair a adaptação cinematográfica do arco O longo dia das bruxas que faz parte do universo do Homem Morcego. Mas, antes de se ter um longo dia das bruxas, vem (não obrigatoriamente) antes Batman: Dia das Bruxas - escrito pelo vencedores do Prêmio Eisner, Jeph Loeb e Tim Sale, que exploram de maneira magnífica o Morcegão, suas dúvidas, suas loucuras e ainda fazem uma excelente adaptação de Um conto de Natal, história conhecidíssima de Charles Dickens.

A HQ é repartida em três histórias: Temores, Loucuras e Fantasmas.

Temores

Reprodução: Batman - Hauted Knight

Batman está exausto. Em perseguição ao Espantalho, que causa um caos enorme em Gotham durante o Halloween, o Morcegão não dorme há dias.

Em meio a reflexões sobre ele mesmo e seus medos, algo que o Espantalho gosta de causar nas pessoas, o Homem Morcego sobrevoa Gotham em busca de respostas para si enquanto caça o psicopata.

Essa primeira história é interessante, pois observamos, de perto, o Batman questionar a si mesmo em relação aos seus medos, e talvez uma breve vontade de fugir, de ser algo além daquilo que ele mesmo forjou por conta do seu trauma. A trama consegue ser profunda, mesmo tendo poucas páginas, e, no final, entendemos um pouco mais da loucura do próprio Morcego.

Loucuras

Reprodução: Batman - Haunted Knight

Em uma caça frenética ao Chapeleiro Maluco, Batman se depara com uma forte lembrança de infância que costumava afagá-lo, mas que se torna um gatilho de raiva relacionado ao vilão: a ligação entre sua mãe e a história Alice no país das Maravilhas e o fato do Chapeleiro viver, em sua mente, essa história, mas da pior maneira.

Bruce precisa se preparar para encarar fatos que preferia deixar dentro de uma caixa do seu inconsciente, seguras e sem lhe causar dor - teoricamente. Será que, nessa história, vemos o Morcegão finalmente passando por um processo emocional e lidando com um trauma?!

Novamente, em poucas páginas, a dupla dinâmica consegue pôr em cheque tudo o que sabemos sobre o personagem, de maneira bem simples, e refletirmos, junto ao próprio herói, sobre questões da sua vida e suas dores escondidas.

Fantasmas

Reprodução: Batman - The Haunted Knight

Nessa releitura macabra de Um conto de Natal, Batman é obrigado a enfrentar, no Halloween, os espíritos do passado, presente e futuro, representados por Hera Venenosa, Coringa e... Bem, vou deixar o terceiro em suspense.

Originalmente, o conto de Dickens é uma crítica ao sistema capitalista e à Revolução Industrial, que explorava os trabalhadores à exaustão. Em Batman, a história é uma análise do Morcegão e sua trajetória, e cava um pouco mais sobre um assunto que adoramos debater sobre ele: por que ele prefere socar bandidos a ajudar a comunidade com seu dinheiro?!

Ainda uma crítica ao capitalismo, mas, também, ao uso da própria vida - entregue à violência.

Com ilustrações bem-feitas, ligeiramente perturbadoras em determinados momentos e cheias de simbolismo, Dia das Bruxas é um arco praticamente obrigatório para se conhecer melhor a mente insana do próprio Batman.

A HQ não é mais tão facilmente encontrada, e o valor não é exatamente o que eu chamaria de acessível, mas caso tenha interesse, você pode dar uma olhada AQUI.

Deixe um comentário