Raphael (Ph) Carmo

14 set, 2016

Hqs e Livros

Desde o lançamento de A Bruxa de Blair, em 1999, o gênero de mockumentary ficou famoso e trouxe vários filmes que seguiram o mesmo esquema. Esse tipo de filme traz a linguagem de um documentário, com "câmeras encontradas" trazendo filmes misteriosos, como se alguém tivesse achado aquilo e colocado no cinema. Apesar de não ser uma novidade nos livros, Ivan Mizanzuk usa essa mesma técnica em seu livro Até o Fim da Queda, onde conta uma história macabra usando trechos falsos de conversas, entrevistas de tv e matérias de jornal.

A obra conta a história de um escritor de terror que, inspirado em um suicídio coletivo de jovens nos anos 90, lança um livro de ficção inspirado na seita que eles participavam. O misterioso e sarcástico escritor conta em uma entrevista para TV que teve contato com a seita e confirma que foi tudo real. Ao decorrer do livro, vamos montando o quebra-cabeças lendo trechos de uma entrevista que ele fez com um dos participantes da seita e entendendo melhor como tudo isso aconteceu.

livro aberto

Apesar de o enredo do livro não ter nada de muito especial, é a forma como é contado que o torna tão único. A narrativa é bastante não linear e você tem que prestar atenção nos detalhes para não se perder nas diferentes linhas temporais e acontecimentos. O livro possui diferentes linguagens para contar a história e cada uma tem uma diagramação e narrativa diferente, seja com a entrevista de TV que o escritor está dando, passando por páginas pretas com letras brancas que trazem textos mais oníricos, cartas transcritas de um exorcista da Idade Média e imagens reais ou fictícias referentes a demonologia e magia negra.

Resultado de imagem para ivan mizanzuk

O que faz essa mistura tão bem é a formação do escritor. Mizanzuk é um profissional bastante multifacetado, o cara é um professor de história, que estudou Alester Crowley no mestrado e possui um podcast que era sobre design mas hoje em dia já fala de quase tudo. Dessa mistura maluca nasce seu primeiro livro de ficção que traz um pouco do design, história e religião oculta, tudo misturado fazendo uma boa salada maligna.

Até o Fim da Queda é um ótimo livro quebra-cabeça que vai te deixar intrigado e brincando de detetive enquanto lê. A narrativa diferente prende bastante a atenção e deixa algumas lacunas que precisam ser preenchidas ou interpretadas. O escritor usa tantas imagens e conhecimentos reais sobre artes ocultas que até o leitor mais cético vai ficar pensando que tudo aquilo é real. O livro possui pouco texto por causa da sua diagramação e a leitura é bem rápida, eu que demoro pra ler terminei em dois dias, mas vale bastante a pena pela narrativa intrigante e diagramação inovadora.

Deixe um comentário