eSports: canais de TV e até mesmo as Olimpíadas se renderam ao sucesso do momento

265

Não tem como negar, os eSports chegaram para ficar. Com milhões de fãs espalhados ao redor do mundo, a modalidade tem presenciado um crescimento que parecia impossível alguns anos atrás. Vários torneios reúnem jogadores profissionais e fãs assíduos, unindo o útil (se divertir com seu jogo favorito) ao agradável (ganhar prêmios e dinheiro com isso). Empresas gigantes já enxergaram nos eSports e em seus fãs um mercado lucrativo, criando assim torneios com premiações milionárias e que vão levar suas marcas para lugares que nem mesmo os melhores analistas poderiam prever. Um bom exemplo é a Alibaba, maior empresa de e-commerce da China e uma das maiores do mundo, que anunciou que vai investir mais de US$ 15 milhões nos eSports. Junto ao investimento foi criado o World Electronics Sports Games, torneio que terá um valor de total de premiações na casa dos US$ 5 milhões. Para ter uma ideia da grana envolvida, o campeão de Dota 2 vai levar para casa US$ 1,5 milhão. O que não é nada mal para um dia de trabalho.

Mas apesar de tudo isso ainda existe um certo preconceito em relação aos eSports. Seja por parte do público leigo e até mesmo da mídia esportiva nacional. Mesmo que sites voltados para a cultura pop tenham espaços destinados ao assunto, é quase impossível ver uma notícia sobre League of Legends ou Counter-Strike em canais da TV aberta ou fechada. Não que isso seja um empecilho, já que os fãs estão sempre antenados. Finais de torneios já foram transmitidas em salas de cinema e algumas já chegaram a pagar mais do que competições de Futebol, que é um dos esportes que mais movimentam dinheiro no mundo. Mas como todo grande sucesso, alguma hora os eSports seriam notados pela grande mídia.

maxresdefault

Mês passado o canal Fox Sports 2 transmitiu a grande final do FIFA Interactive World Cup, o maior evento de Futebol Virtual do mundo. Em sua 12ª edição, o torneio pagou US$ 20 mil ao campeão e de que quebra lhe garantiu um lugar na próxima edição da Bola de Ouro, a festa de gala do futebol onde é escolhido o Melhor Jogador do Mundo. PES e Fifa são os games mais famosos entre fãs do esporte e até mesmo de jogadores famosos, como Neymar. O Santos Futebol Clube já chegou a promover um encontro entre a dupla de craques Pelé e Coutinho para um bate bola virtual. Outros clubes ao redor do mundo também costumam criar alguns desafios de video game entre seus atletas. É sem dúvida um dos eSports mais populares.

Nesse fim de semana será a vez do SporTV, um dos maiores canais esportivos do Brasil, se render ao charme do Dota 2. O Canal Campeão – como é conhecido – vai transmitir o ESL One Manila, um dos principais campeonatos internacionais de Dota 2. A competição vai reunir as melhores equipe do mundo e tem promessa de casa cheia. Cerca de 20 mil pessoas são esperadas na Asia Arena, localizada na capital das Filipinas. É um avanço e tanto ver canais tão grandes abrindo um espaço para a modalidade. Mas essa ainda não é a cereja do bolo.

06150329676326

No início do mês o governo britânico anunciou a criação do International eGames Committee (IEGC), um comitê internacional para estabelecer uma competição de eSports nos moldes olímpicos. Sem fins lucrativos, a iniciativa ficará sob os cuidados do COI (Comitê Olímpico Internacional). E para o pontapé inicial, foram escolhidas as Olimpíadas do Rio de Janeiro, que ocorrerão em agosto. A ideia é que o torneio de jogos eletrônicos ocorra na mesma cidade sede dos jogos olímpicos. E que nas próximas edições possa utilizar as estruturas construídas para os jogos tradicionais, pelo menos um mês depois do evento principal.

Para essa primeira edição foram escolhidos poucos países: Canadá, Brasil, Estados Unidos e Reino Unido. O próximo passo é tornar o torneio global. A premiação, porém, não será em dinheiro. Assim como as Olimpíadas, os atletas vão receber medalhas de ouro, prata e bronze, mas com um modelo diferente das medalhas tradicionais. Nenhum jogo foi anunciado ainda, mas o IEGC irá se reunir com as empresas responsáveis para definir quais títulos estarão nas competições de PC e consoles.

Certamente os milhões de adeptos dos eSports estão comemorando esse novo cenário. Pode ser um passo decisivo para que o preconceito possa finalmente deixar de existir. Vivemos em uma nova era e adaptar-se é mais que necessário, é imprescindível.