Raphael (Ph) Carmo

20 jan, 2022

Games

Continuação do jogo clássico traz gameplay simples mas profundo

Algumas obras ganham um revival inesperado anos depois de terem sido lançadas. É o caso do primeiro Windjammers, lançado em 1994 para Neo Geo. Há alguns anos atrás, o jogo ganhou fama por causa de alguns sites e canais na internet e virou um velho novo hit. O jogo clássico recebeu até versões para os consoles da nova geração. Por causa desse sucesso, a DotEmu (responsável pelo novo Streets of Rage) lança Windjammers 2, 28 anos depois do primeiro jogo.

Windjammers 2 segue uma estrutura e gameplay bastante parecidos com os do primeiro jogo. Trata-se de uma competição de frisbee no melhor estilo pong ou tênis, onde os personagens têm poderes diferentes como um jogo de luta. O objetivo é usar lançamentos diferentes para levar o disco até o outro lado do campo do oponente e ganhar pontos.

O jogo já se mostra para o que vem na sua apresentação. Seguindo um estilo cartoon mas ao mesmo tempo retrô, o game passa uma vibe de anos 1990 muito gostosa. Todo o seu feel parece que saiu diretamente de um jogo de luta desta época. Somando com as ótimas músicas empolgantes, ele não falha em passar emoção e sentimento de um clássico Arcade.

windjammers-2-gameplay

Mas e o gameplay? Impressionantemente, o original já possuía um nível bastante alto de complexidade para a época e sua sequência não é diferente. Apesar de controles e regras simples, existe uma diversidade de movimentos e lançamentos especiais bem vasto. Você pode fazer lançamentos retos, para quicar na parede, lentos e curvos ou para cima. Cada um desses lançamentos pode ser feito de forma especial caso sua barra esteja cheia e cada personagem possui lançamentos especiais tal como um clássico jogo de luta. Além disso, cada um desses lançamentos possui formas de dar counter e surpreender seus oponentes.

Se você ficou assustado com a quantidade de opções, você está entendendo bem qual o sentimento de pular nesse jogo de primeira. Principalmente quando ele oferece um tutorial somente com telas estáticas que falha bastante em te ensinar os movimentos mais básicos e avançados, sendo essa minha maior crítica ao jogo. Eu só fui aprender mesmo como muita coisa funcionava depois de apanhar muito para a máquina no modo Arcade jogando no fácil. Felizmente, depois que você passa desta barreira inicial, o jogo vai ficando cada vez mais divertido, pois você começa a se desafiar a ser mais ousado, tentando movimentos mais arriscados em busca de um melhor pay off

O modo Arcade funciona da forma como deveria, com zero história e te introduzindo aos personagens e mapas, trazendo até algumas fases bônus num estilo bem retrô. Os mapas tem pequenas variações de locais que dão mais pontos se forem acertados e alguns obstáculos no meio. O suficiente para serem diferentes e não mudarem muito o gameplay. Os personagens possuem poucas variações entre velocidade de movimento e de lançamento do disco, além de diferentes especiais. Cada personagem pertence a uma nacionalidade e dublagens em diferentes idiomas de frases simples para ajudar nas suas personalidades. Ao terminar o modo Arcade com um personagem, aparece uma minicutscene de finalização com sua historinha. O estilo cartoon  e a paleta de cores escolhida funcionam muito bem.

windjammers-2-gameplay

Acabei jogando bem pouco o modo multiplayer e vou tentar experienciar mais com o lançamento oficial do jogo. Mas do pouco que joguei já percebi que é onde o jogo brilha. O simples jogo de pong vira um xadrez psicológico onde você tenta prever os movimentos do oponente e utilizar muito blefe para vencer seus oponentes. A inteligência artificial do modo Arcade muitas vezes é injusta ou burra demais, mas jogando contra uma pessoa de verdade o jogo fica muito mais divertido. Não vejo a hora de poder jogar com amigos tanto online como localmente. 

Windjammers 2 é um ótimo comeback  que traz ao mesmo tempo um gameplay simples mas super profundo. Existe uma grande barreira inicial mas depois que você a ultrapassa, tem espaço para muita melhora e desenvolvimento. Isso seria um pouco melhor mitigado se o jogo possuísse um tutorial melhor.  O modo Arcade funciona como uma boa introdução e prática, mas o jogo brilha mesmo jogando contra amigos. Para aqueles que ficarem na superfície talvez fiquem enjoados logo, mas quem tem interesse em se aprofundar, tem muito jogo aqui. Ele está saindo diretamente para Gamepass então não tem motivo para não dar uma chance pra esse divertido e bonito game retrô.

Deixe um comentário