Raphael (Ph) Carmo

9 nov, 2020

Games

Jogo de estratégia brasileiro traz temática inovadora

Existem muitas obras de invasão alienígena. Na maioria dela acompanhamos os mocinhos terrestres se defendendo da invasão de seres de outros planetas. Em Under Domain, jogo da empresa brasileira Playlearn, os papéis se invertem.

No jogo, você controla reptilianos planejando uma invasão na Terra durante o século XX, pois os humanos invadiram seu planeta natal no futuro, e você volta na tempo para se infiltrar na sociedade humana e planejar sua conquista.

O jogo funciona através de estratégia em turnos. Você tem um número limitado de rodadas para planejar sua invasão e melhorar suas forças militares para superar os terrestres. Cada rodada representa uma década humana, a história vai avançando mostrando fatos históricos importantes de nossa socieadade, os avanços militares e tecnológicos. Esse aspecto é bem legal, pois pode ser usado como algo educativo, ensinando sobre a história do século XX através de um observador de fora. É fácil entender esse aspecto pois a empresa é conhecida por fazer jogos educativos.

Cada rodada te dá direito a 10 ações e o jogador vai decidir o que fazer com elas, como em um jogo de tabuleiro. Dentre as ações, você pode coletar recursos, abduzir pessoas, construir naves de exploração e combate, infiltrar seus agentes duplos em instituições importantes, entre outras opções. Você precisa decidir como vai gastar seus recursos e seu tempo, aprimorando o seu poderio militar para que seja melhor do que o dos humanos.

A forma como essas teorias conspiratórias de reptilianos e greys infiltrados foi implementada, se encaixa muito bem nas mecânicas. Além disso, o jogo está repleto de eventos envolvendo naves encontradas pelos humanos e outros eventos ufológicos em que você precisa decidir o que vai fazer. Esses encontros especiais geram uma aleatoriedade no gameplay que tende a ser um pouco repetitivo e parado.

Um dos problemas é o fato de não haver explicação sobre os objetivos e as principais ações para completá-lo. No tutorial, o jogador é informado sobre alguns detalhes e vai aprendendo enquanto joga, mas acabei tendo muita dificuldade em algumas coisas básicas: como o objetivo final. Em diversos momentos, eu não sabia o que fazer para evoluir e não entendia a serventia de algumas coisas que eu comprava.

 

Outro problema é que sua interface é um pouco difícil e lenta demais de se navegar. Um jogo que se baseia, literalmente, em navegação por menus deveria ter uma preocupação maior nesse quesito. Por fim, em alguns momentos, e principalmente no final, você é obrigado a assistir há algumas animações muito lentas e que não trazem imersão ou diversão para o gameplay. Pelo o que entendi, o jogo ainda está em beta, então dá para ajeitar alguns desses erros.

A apresentação é boa para um jogo pequeno. Eu, pessoalmente, iria preferir que os gráficos fossem em 2D, pois ele esconderia muito bem algumas imperfeições facilmente encontradas num jogo 3D, além de deixar as animações mais fluídas. Os menus, apesar da navegação ruim, são bonitos e claros.

Under Domain é uma ótima ideia para um jogo e vai divertir aqueles que curtem uma boa estratégia em turnos. Ele traz um grande desafio com jogatinas rápidas, que te dá tempo para tentar mais de uma vez. Apesar de necessitar de um polimento maior, para resolver bugs e decisões infelizes de design, fico feliz de ver uma produção brasileira inovando e se arriscando em uma temática e mecânicas não tão comuns no mercado de jogos local.

Deixe um comentário