Star Renegades: Um RPG estratégico e desafiante | Crítica

15
star renegades banner

Novo Roguelite da Raw Fury é visualmente lindo e mecanicamente impiedoso

Muito dizem que o gênero de JRPG está morto, que suas mecânicas estão ultrapassadas e que hoje em dia os jogos estão mais elaborados. Mas, felizmente, existem jogos que conseguem inovar no gênero trazendo interações mais estratégicas e interessantes. É o caso de Star Renegades, o novo roguelite desenvolvido pela Massive Damage e distribuído pela Raw Fury.

Do que se trata Star Renegades?

star-regenades screenshot

Em Star Renegades, você controla um grupo de rebeldes que enfrenta um império galático maligno no melhor estilo Star Wars. Em cada run, você viaja de planeta em planeta coletando enfrentando inimigos, coletando items e subindo de nível. O jogo possui uma desculpa de ficção científica para reiniciar após cada tentativa fracassada em que o robô que controla a party consegue viajar entre dimensões e tentar tudo de novo caso o plano dê errado.

Apesar de uma história clichê e pouco inspirada, o jogo possui uma arte maravilhosa que mistura 3D com pixel arte e uma trilha sonora sci-fi bem empolgante. Os cenários fora das batalhas poderiam ser mais diversos mas dentro dos combates eles são mais interessantes. Sempre tem coisas acontecendo no primeiro plano ou no fundo deixando o ambiente bem dinâmico. Os personagens são carismáticos e os inimigos também são legais, apesar de serem pouco variados e sem muita personalidade.

Combate complexo e desafiador

Star=Renegades

Toda essa carinha bonita serve como plano de fundo para ilustrar o combate complexo de Star Renegades. O jogo possui um sistema de combate em turnos no melhor estilo JRPG mas que traz alguns elementos como posição dos personagens e ordem de turno para deixar mais estratégico. O sistema usado lembra o RPG Grandia. Aqui, os inimigos possuem ataques previstos pelo jogador sempre com 100% de chance de acertar. Cabe ao jogador escolher bem suas ações para defender, atacar antes ou causar o que o jogo chama de “break”.

A mecânica do break é uma das mais importantes e consiste em atrasar o ataque do seu inimigo até o ponto em que ele vai pular o turno. O jogador pode optar por um grupo de heróis mais focado em dano para matar logo seus inimigos ou focar em quebrar seus oponentes para que eles nunca ataquem. Apesar desse sistema já ser bem desafiador, o jogo possui toda uma gama de status, tipos de dano e variedade de ataques que acaba transformando cada turno em um mini quebra-cabeça que o jogador deve resolver. O jogo acaba me lembrando muito Into the Breach, outro jogo com ataques de inimigos pré-programados.

Interface Confusa

star-regenades screenshot

A diferença é que aqui tem tanta coisa acontecendo na tela e tanta informação que a interface acaba ficando muito poluída e confusa. Mas de uma vez o turno não aconteceu nada como planejado porque simplesmente eu não entendi o que estava sendo apresentado para mim na tela. E um pequeno erro nesse jogo pode ser fatal. Eu adorei o sistema de combate, mas ele acaba tornando as lutas muito longas e, por consequência, deixando as runs do jogo com uma duração bem alta. É bem frustrante passar horas em uma tentativa para tudo ser perdido perto do final e depois começar tudo de novo. Felizmente existe um sistema de aumentar a velocidade das animações e deixar o combate mais rápido. Mas isso acaba destruindo uma das melhores coisas do jogo que é o seu visual.

Entre os combates você tem que se mover de forma meio estranha pelo cenário, decidindo quais caminhos vai tomar como no jogo FTL. A cada final de dia acontece algo bem legal, os personagens se juntam em uma fogueira e você tem a opção de usar cartas de ações para dar buffs ou curar a vida dos colegas. Isso faz com que os personagens desbloqueiem novas habilidades e um nível de companheirismo com seus amigos, gerando também alguns diálogos que desenvolvem melhor tanto os personagens como o mundo.

Veredito

star-regenades screenshot

Apesar de ser uma mistura maluca de Grandia, FTL, Into the Breach, Chrono Trigger e até Mass Effect, Star Renegades tem o seu valor. O combate é muito estratégico mas ele só fica realmente desafiador no final das runs, fazendo você passar por várias batalhas tediosas até chegar no real desafio. A falta de uma variedade de inimigos e opções fora das batalhas também impacta um pouco no fator rejogabilidade. Mas, apesar disso, é divertido experimentar diferentes grupos e builds de heróis para ver qual a melhor combinação. Se você curte um roguelite desafiador e um cenário espacial, Star Renegades é um belo exemplo de RPG complexo e divertido. O jogo está atualmente no Game Pass então vale a pena experimentar.

Publicidade
Crítica Geral
Pontuação
8
Professor, Ilustrador e Game Designer, as profissões mais bem pagas do mundo.