Rene Madeira

17 maio, 2021

Games

Returnal é mais do que um sucesso, é o novo porta-estandarte para todo o gênero

Foi durante o evento de revelação do PlayStation 5 que demos nossa primeira olhada em Returnal. O trailer inicial foi atmosférico, intrigante e despertou o interesse de muitos que planejavam pegar o console de próxima geração da Sony (incluindo eu), mas levantou uma questão muito importante: um roguelike pode corresponder às expectativas de ser um grande lançamento AAA? Afinal, o gênero está quase exclusivamente ligado aos indies. Depois de passar um tempo considerável morrendo e tentando novamente, posso dizer sem dúvidas que Returnal não apenas consegue atender a essas expectativas, mas também as supera de muitas maneiras.

"A queda, o ataque, a morte, o renascimento". Mais do que um slogan de marketing, essas palavras são o ponto crucial de Returnal. Você joga como Selene, uma Astra Scout (astronauta batedora espacial) que captou um misterioso sinal de socorro do planeta fora dos limites de Atropos e tomou a questionável decisão de investigar. Com um acidente que a leva a cair no mundo estranho, Selene se encontra presa, sem qualquer meio de contato fora do local. Investigando a floresta úmida e sinistra em que agora se encontra, ela descobre o corpo de um companheiro Astra Scout condenado que, na verdade, é o próprio cadáver em decomposição de Selene. O ciclo agora está iniciado.

Não muito depois de deixar o conforto de sua nave Helios, você encontrará os habitantes de Atropos, que não estão muito interessados ​​em sua presença. Animais parecidos com lagartos, árvores bípedes que se teletransportam, torres estacionárias e lulas cubóides voadoras são apenas alguns dos muitos inimigos que você encontrará em Átropos, com seus próprios padrões de ataque e níveis de agressão distintos. Returnal é uma mistura de gameplays bem interessante, mas o que nos prende mesmo é o seu estilo de jogo de "navinha" das antigas. Não à toa, a desenvolvedora Housemarque é especialista nisso. Ver alguns dos ambientes escuros e sombrios pulsando com cores enquanto você troca tiro contra uma onda de inimigos é igualmente estressante e maravilhoso.

returnal-jogo-playstation-5

Por mais misterioso e assustador que Átropos seja, ele também pode ser bonito. Para evitar danos (e você deve evitar), existe a possibilidade de uso de um salto e um impulso que, dependendo do local ou inimigo, o projétil é ignorado. A cada novo jogo inicia com uma pistola simples e um flash de algumas visões, mas enquanto explora os ambientes você topa com rifles laser automáticos, espingardas que sobrecarregam a tela com projéteis, lançadores cáusticos e muito mais, apenas para citar alguns. Cada arma utiliza recarga adaptável, o que significa que sempre que não estiver atirando, estará ganhando aquelas balas preciosas de volta para o seu pente. Você também recebe uma breve janela para recarregar automaticamente e todas as armas têm uma retícula generosa para compensar o ritmo alucinante em que o combate se move. Cada arma tem um tiro alternativo que é ativado puxando totalmente para trás o gatilho L2. Este não é apenas um uso bem-vindo e natural dos gatilhos adaptativos, mas depois de passar algum tempo com ele e torná-lo uma segunda natureza, posso dizer que é o melhor uso desse recurso DualSense que vi até agora. Esses modos de disparo alternativos são vinculados a um tempo de espera e têm um grande impacto ao disparar granadas, disparos de canhões ou relâmpagos.

Ao lado das armas, você também encontrará uma série de itens que o ajudarão a sobreviver. Artefatos são itens sem risco que fornecem buffs, Resina aumentará sua barra de saúde, consumíveis são itens de uso único semelhantes aos Artefatos, e Obolitos são uma moeda temporária que você pode usar para fabricar esses itens quando encontrar Fabricadores (máquinas que comercializam Obolitos para equipamentos). Até agora, tudo tão simples, mas você encontrará Parasitas e itens malignos que injetam alguma mecânica de risco. Parasitas são buffs vivos que causam efeitos negativos, forçando-o a pesar suas opções e tomar a decisão que é melhor para sua gameplay atual. Itens malignos são como qualquer outro, mas têm uma chance percentual de causar um mau funcionamento em seu traje que só pode ser consertado atendendo a um requisito específico. Pode parecer muito para lidar, mas cada item tem uma cor correspondente que permitirá que você saiba o que está pegando na hora. O ato de equilíbrio de infligir danos a si mesmo em troca de uma bênção e gerenciar seus consumíveis de forma eficaz é emocionante e desesperador e pode ser a diferença entre o sucesso e a morte.

Para cada quatro inimigos que mata, você adquire um nível de adrenalina que vai te dar um bônus adicional para o dano de arma, corpo a corpo e outros, reiniciando quando receber dano. Isso adiciona mais uma camada de profundidade a cada run, já que frequentemente contará com os buffs fornecidos pela adrenalina para destruir seus inimigos. Todos esses sistemas juntos podem parecer assustadores e, a princípio, podem ser, mas depois de algumas tentativas fracassadas, você pega o ritmo e tudo começa a se encaixar. O combate é rápido, frenético e freqüentemente muito difícil, mas isso só torna mais satisfatório o momento em que derrotar o último inimigo em uma sala. Combinar os sistemas de movimento suave como seda e o combate de alta intensidade baseado em risco cria um ciclo de jogo que implora para ser jogado por horas e horas. Usar tiro alternativo para tirá-lo da beira da morte é uma sensação incrível. Você vai morrer (muito), e testemunhará a mesma falha dezenas de vezes, mas a jogabilidade é tão incrível que tudo o que vai querer fazer é voltar lá e tentar novamente. Cada vez que volta, será diferente graças a opção procedural de níveis gerado aleatoriamente, e isso só aumenta a natureza viciante do jogo. 

Achei quase impossível me afastar de Returnal, estando ou não conseguindo, e mesmo quando fiz uma pausa, estava pensando em como poderia melhorar e por que falhei na minha última tentativa. Permaneceu comigo de uma forma que poucos jogos conseguiram, e isso não é apenas graças ao combate momento a momento, mas também às lutas contra chefes visualmente deslumbrantes e difíceis. O combate de Returnal é brutal, na melhor das hipóteses, mas o verdadeiro teste de habilidade vem com os desafios que esperam no final de cada bioma. Ostentando três fases distintas, cada chefe se sente único e assustador. Aprender os padrões de ataque, esquivar e usar estrategicamente sua arma e seu equipamento é vital ao confrontar essas figuras agourentas. Tão aterrorizantes quanto impressionantes, descobri que minha frequência cardíaca aumentava consideravelmente enquanto lutava com cada um deles e senti uma onda de alívio e satisfação quando finalmente tirei o que restava de suas vidas. Essas lutas são o melhor que Returnal tem a oferecer em termos de combate frenético e estão perto da perfeição visual.

Chegar a cada chefe exige que você encontre uma chave ou um número de chaves no bioma correspondente e as leve até a porta lacrada em uma única run para não perdê-las e precisar tentar novamente. Assim que destravar a porta, ela ficara aberta permanentemente, o que significa que só precisará voltar a ela nas execuções subsequentes. Com uma rota mais rápida e direta para o chefe aberta, você terá uma escolha: vá direto para o grande mal e aguente com o equipamento que pegar no caminho ou use o seu tempo e aventure-se em salas de desafio em busca de melhor equipamento, arriscando sua preciosa saúde no processo. Novamente, é uma situação de risco/recompensa que cria uma tensão inexplicável de corrida para corrida e só aumenta o desafio e a diversão.

returnal

Ao enfrentar um chefe, será recompensado com um upgrade permanente, como um slot consumível extra ou uma nova peça de tecnologia alienígena, por exemplo, o hookshot que permite que alcance saliências designadas que antes eram inacessíveis. Este equipamento permanente adiciona um elemento Metroidvania ao ciclo de jogo de Returnal à medida que cada atualização desbloqueia mais opções desde o início de cada corrida, aumentando ainda mais a sua gameplay e permitindo que enfrente desafios maiores à medida que o tempo vai passando. Este estilo de progressão é sutil, mas imensamente eficaz. Conforme avança, você descobrirá que o baú misteriosamente fora de alcance está agora a um botão de distância, ou a água profunda que antes o teria danificado está agora aberta para exploração.

Returnal apresenta seis biomas exclusivos que são incrivelmente belos.  Há uma variação em nível visual e contextual, em que cada local é tão abstrato e estranho que parece imediatamente ameaçador e isolante. Cada detalhe, desde a tecnologia antiga, porém futurista, até a ampla variedade de flora exótica, alimenta a incerteza e a apreensão. Isso cria uma verdadeira sensação de solidão e medo que é agravada pela trilha sonora (que realmente deve ser experimentada com um fone de ouvido). Gritos de inimigos, o ruído mecânico de uma porta se abrindo, o barulho da vida vegetal próxima... Tudo isso é profundamente perturbador. Os visuais incríveis, a iluminação e os efeitos inconfundíveis de partículas da Housemarque são inspiradores, mostrando que tipo de magnificência criativa é possível no novo hardware da Sony.

Isso tudo sem mencionar o desempenho irreal do jogo. Em nenhum momento eu notei qualquer queda de quadros, mesmo quando a tela estava cheia até a borda com fileiras e mais fileiras de fogo inimigo. Returnal realmente está operando em outro nível em comparação com a maioria dos outros lançamentos atuais quando se trata de beleza gráfica, áudio e imersão.

returnal-jogo-playstation-5

 Sua morte e renascimento constante são mais do que apenas uma mecânica, são centrais para a narrativa sombria, enigmática e cativante. Selene está tentando desesperadamente quebrar o ciclo em que está presa e encontrará registros de áudio de seu passado enquanto o faz. Isso pode soar como uma maneira cansada de incluir a exposição, mas o desempenho inacreditável da notável escritora e dubladora Jane Perry transforma o que poderia ter sido um conto anexado em uma história que simplesmente não pode ser ignorada. Com óbvias influências Lovecraftianas, a história de Selene é de angústia, desespero e agitação mental e vem com reviravoltas que me deixaram maluco por dias. Junto com os registros de áudio, há seis sequências de primeira pessoa que acontecem em uma casa que se destaca na paisagem atropiana. Não vou estragar nada sobre essas partes do jogo, mas basta dizer que os elementos de terror de que falei anteriormente se tornam muito mais aparentes aqui. Eu me preocupava profundamente com o destino de Selene e não pude largar o controle até que o descobrisse.

Honestamente, uma das únicas barreiras que o Returnal tem em seu caminho é o preço. Um roguelike de ação custando R$350,00 será um grande desestímulo para muitos, e isso é compreensível. No que diz respeito ao retorno do seu investimento, o jogo tem um nível de repetibilidade aparentemente ilimitado para os fãs do gênero. Atingi os créditos por volta da marca de 29 horas, mas isso dependerá muito do seu nível de habilidade. Não apenas fiquei tentado a jogar a história novamente quando acertei os créditos, mas há um modo de ataque de pontuação que o lança em uma corrida com o objetivo expresso de ganhar pontos ao chegar o mais longe possível através do(s) bioma(s). As tabelas de classificação on-line acompanham o seu desempenho e o colocam contra seus amigos e o resto do mundo, portanto, se você for competitivo, isso o manterá ocupado por um longo tempo. Semelhante a Dark Souls, também pode encontrar os cadáveres de outros jogadores on-line, com a opção de roubar seus bens ou vingá-los, convocando o inimigo que os matou. É um componente on-line sutil, mas que se encaixa perfeitamente no tom e na premissa do jogo.

Considerações finais

Qualquer próximo jogo terá que ser nada mais ou nada menos que perfeito para tirar Returnal da minha escolha de jogo do ano. Todos os seus sistemas se sincronizam e funcionam perfeitamente, com seus combate e movimento quase perfeitos para criar um loop de jogabilidade que é tão envolvente quanto ser parte de sua primeira run ou centésima. A bela, mas intimidante, atmosfera e tensão que Atropos possui é reforçada pela história psicologicamente assustadora e interessante de Selene. Cada aspecto deste jogo atrai e se recusa a deixá-lo ir, e o tem uma qualidade intangivelmente fascinante que não sou capaz de explicar completamente, simplesmente tem que ser experimentado. Um título criativo, assustador e de tirar o fôlego do início ao fim e vice-versa, Returnal é mais do que um sucesso, é o novo porta-estandarte para todo o gênero.

RESUMO

POSITIVO:

- A melhor experiência de jogo que já tive.

- Jogabilidade fluida, engajante e viciante.

- Incrível narrativa e atuação.

- São os melhores gráficos que a equipe PlayStation já apresentou.

- Te faz pensar e passar por situações inesperadas.

NEGATIVO:

- Falta de saves para manter-se vivo

- O alto preço pedido é difícil de ser indicado

@renemadeira
@gamesbonde

Deixe um comentário