Dice Town | Review

465
Capa do Jogo com o logo e personagens de Velho oeste em volta de uma mesa em cartoon

Inspirações para jogos de tabuleiro podem vir de vários locais, e não faltam elementos e acessórios para isso. Imagino que essa foi a ideia de  Bruno Cathala quando ele pegou dados de poker para fazer o seu Dice Town, um jogo bem divertido e família, mas que também pode causar bastante discórdia entre os jogadores.

Em Dice Town, os jogadores estão na cidade de mesmo nome tentando a sorte nos seus diferentes locais, seja catando ouro na mina, se divertido com as moças do Sallon ou até dando uma de xerife. No seu turno, cada jogador rola seus dados de poker várias vezes, salvando somente um dado por vez, até que todos tenham rolado. Lógico que existem diferentes ações que podem ser feitas, como pagar para guardar mais dados por rolada ou até pagar para rolar novamente todos eles, enquanto você vai rolando e salvando um dado por vez, a estratégia e olhar o que os outros estão guardando para ir se adaptando enquanto isso. Quando todos escolherem os seus dados, checam-se os valores e começamos a andar pela cidade, cada local vai dar um benefício diferente para quem tirou mais dados com aquele símbolo específico.

O jogador pode ganhar pepitas de ouro  na mina que valem cada 1 ponto de vitória no final do jogo, podem ganhar dinheiro no banco que serve para melhorar suas chances de conseguir bons valores nos dados e também valem 2 por 1 ponto de vitória no final, podem conseguir as famosas cartinhas especiais para benefícios diversos na loja, conversar com as meninas do Sallon para roubar cartas da mão dos outros jogadores, virar o xerife ( que lhe dá a oportunidade de decidir empates ) ou , para aqueles que tiverem a melhor mão de poker, ganhar propriedades que valem pontos de vitória no final. O legal é que também possui um local para os jogadores que não conseguiram ter mais símbolos em nenhum desses locais, para dar uma balanceada.

Dice Town é um jogo bem leve que preza muito mais pela estratégia em tempo real do que se planejar para turnos futuros, geralmente você está tomando decisões por coisas que estão acontecendo ali no momento, seja escolhendo dados dependendo dos oponentes ou aproveitando dados que vieram para você. O fato de não possuir um set collection que premia os jogadores que fizeram mais aquilo do que isso no final também ajuda a você não se prender a uma estratégia só, o jogador está sempre visitando todos os locais diferentes durante a partida. Apesar de ser um jogo leve, existe uma certa treta por causa da ação de roubar cartas da mão e também de outras cartas que acabam com o jogo do colega, existem cartas poderosas que ficam pulando de mão em mão e é divertido de ver isso, apesar que algumas pessoas podem ficar bem chateadas em ter suas cartas roubadas. Para ficar menos caótico, o jogo dá a oportunidade de você “salvar” cartas da mão, para não serem roubadas. Apesar de ser independente de temática, é legal misturar esse tema de velho oeste com dados de poker, o que faz muito sentido, a bela arte em cartoon ajuda muito e é bonita de ver. Os componentes também estão de parabéns, o material que é feito o dinheiro é gostoso de pegar e os copos não dão câncer ( sempre bom né).

Se você procura um jogo simples, leve, mas que podem dar algumas tretas. E, principalmente, se você gosta de ficar rolando dados feito um maluco, recomendo muito Dice Town!

Mecânica: 7,5
Arte: 8
Rejogabilidade: 7,5
Temática: 8,5