Mônica e a Guarda dos Coelhos | Crítica

0
80
Mônica e a Guarda dos Coelhos

Depois de 24 anos, a Turma da Mônica está de volta nos videogames. Depois dos clássicos jogos lançados pela Tec Toy, a Mad Mimic lança sua própria versão do jogo da turminha mais famosa dos quadrinhos brasileiros.

A obra segue a mesma filosofia dos primeiros jogos lançados da Turma da Mônica lá nos anos 90, esses eram reimaginações do jogo Wonder Boy com as skins da Turma da Mônica. O que a Mad Mimic faz agora é o mesmo, pegaram as mesmas mecânicas do seu jogo No Heroes Here adicionando uma narrativa mais infantil e os personagens da Turma da Mônica. Acredito que isso foi uma homenagem à história da Mônica nos jogos mas também uma forma de não apostar muito, já que não precisaram criar um jogo do zero.

As mecânicas aqui são as mesmas do No Heroes Here, é um jogo cooperativo em que você e seus amigos (no máximo 4) devem defender um castelo de hordas de invasores preparando munições e atirando com canhões. A ideia é se assemelhar a jogos cooperativos para jogar entre amigos como Overcooked ou Lovers in a Dangerous Spacetime. A grande diferença mecânica aqui é a complexidade das fases, no jogo original existem níveis bem complexos e difíceis, bem como chefes mais criativos, aqui eu senti que eles deram uma amenizada na dificuldade para pegar jogadores mais novos, ou seja, opúblico-alvo da Turma da Mônica.

Os jogadores devem trabalhar em equipe para decidir quais munições criar, quais canhões encher e quais atirar na hora certa. Dessa forma a comunicação é uma chave importante dentro das partidas e provavelmente a equipe que não se comunicar não vai se sair bem. Importante ressaltar que o jogo pode gerar brigas e discussões entre amigos mesmo sendo um jogo cooperativo e leve. Além de habilidade motora para realizar pulos e feitos em um sistema de plataforma, o pensamento estratégico com as diferente armas e inimigos também é importante.

Como experiência pessoal, eu totalmente não recomendo jogar esse jogo sozinho, além de ficar mais difícil, fica bem menos divertido. Eu joguei todas as fases no modo normal com minha esposa em dois dias e foi uma experiência bem satisfatória.

A mudança principal é na arte e temática do jogo. Ainda acho forçado colocar os personagens protagonistas e coadjuvantes da Turma da Mônica em um cenário medieval mas na verdade é que a história do jogo não importa muito. Os personagens famosos estão muito bonitos em pixel arte e o jogo é muito bem polido como um todo.

Dito isso, Mônica e a Guarda dos Coelhos é um ótimo jogo para se jogar com amigos e família. Ele tem uma dificuldade bem mais tranquila do que o No Heores Here mas oferece níveis de dificuldade diferentes e também desafios em cada fase para os jogadores mais experientes. O gameplay pode ficar meio repetitivo as vezes mas em alguns momentos a tensão e dificuldade exige que os jogadores sejam criativos e trabalhem em equipe, gerando momentos bem tensos e emocionantes. Pessoalmente, eu gostaria de ter visto um jogo da Turma da Mônica criado do zero, mas talvez essa escolha de usar a estrutura de um jogo já pronto tenha sido mais segura em um primeiro momento. Espero que esse jogo abra portas para mais experimentos da Turma da Mônica no mundo dos jogos no futuro.

Mônica e a Guarda dos Coelhos está disponível para PC, Mac, PS4, Xbox One e Nintendo Switch.