a lenda do herói
Games

A Lenda Do Herói

CosmoNerd

21 jul, 2016

Aproveitado a recente passagem dos "Castro brothers" por Fortaleza, durante o evento Sana 2016, resolvermos trazer até vocês um review do game A Lenda Do Herói, jogo idealizado pelos irmãos e trazido ao público através da parceria com o estúdio Dumativa. Angariando uma enorme quantidade de colaboradores através do Catarse e chegando a possuir um financiamento superior aos 250 mil reais, o jogo encontra-se disponível para PC, estando tanto na Steam quanto na Nuuvem.

O Início: "Eu vou me apresentar, sou o herói desta canção"

A ideia inicial do jogo surgiu após uma das muitas paródias musicais dos irmãos em que os mesmos brincavam com clichês do gênero de plataforma, apresentando um cavaleiro "pixelado" enfrentando serpentes.

O vídeo foi publicado primeiramente no YouTube NextUp, um concurso para canais iniciantes, atraindo boa atenção ao ponto das pessoas perguntarem se teria a possibilidade daquela ideia se transformar em um game algum dia.

Gameplay

A Lenda Do Herói é um plataformer em 2D, lembrando muito o clássico da Sega Wonder Boy. Aqui não há nenhuma novidade comparado com outros jogos de plataformas já conhecidos, o player ainda terá que saltar, atacar, coletar moedas, andar em plataformas móveis e etc. Mas o grande diferencial do game encontra-se na sua trilha sonora. O sistema é engenhoso, cada ação do personagem é cantada pelos irmãos Castro de forma bem humorada e criativa, podendo ainda, dependo da ação que toma o seu personagem, mudar completamente a letra cantada. Acredite são muitas estrofes ao longo do jogo.

A adição desse sistema de músicas cantadas também serve para o auxílio do player, por exemplo, a música indica qual determinada ação deve ser tomada como "seguir à direita" ou ainda como derrotar determinado inimigo.

O bom humor é marca sempre presente durante o jogo, as canções brincam com o clichê presente nesse estilo de jogo, assim como o nome de algumas localidades do jogo, por exemplo, As Minas Pyra.

Bom humor marca presença no jogo

Bom humor marca presença no jogo

O game se divide em 7 mundos, cada mundo possui 3 fases e um boss a ser enfrentado. As fases possuem um grau de dificuldade gradativo, ou seja, a cada novo mundo a ser enfrentado é possível perceber aumento de dificuldade ao longo da aventura. Há também um checkpoint disponível dentro de cada fase, mas para aumentar a dificuldade do jogo e homenagear os antigos games desse gênero, só é possível salvar seu progresso após derrotar o boss de cada mundo, sendo assim, se o jogador parar em alguma fase antes disso seu progresso será em vão, devendo refazer as fases não-salvas todas novamente.

Os gráficos são muito bonitos, lembrando demais os jogos da era 16 bits, os sprites de cada personagem são bem feitos e bastante detalhados, já as fases são impecáveis e bastante coloridas, além de possuírem detalhes únicos, tendo em vista que visualmente nenhuma fase é igual a outra.

Cada mundo possui uma boa variedade de inimigos, mudando de acordo com o conceito de cada fase, assim, nos deparamos com cobras, morcegos, macacos e etc. Mas nem só de inimigos ordinários é povoada a aventura, como dito anteriormente, ao fim de cada mundo existe um chefe de fase. Aqui as batalhas não se resumem apenas com o confronto de um inimigo maior, mas sim como nos velhos jogos de plataforma dos anos 80 e 90, nos vemos diante de um conflito mais estratégico, devendo haver uma observância aos padrões de movimento dos bosses e saber atacar na hora correta, pois perder todas as vidas nos chefes pode ser frustrante, devendo fazer todo o percurso até o mesmo uma vez mais.

maxresdefault

Ao longo de toda a aventura, tenho pouco a reportar acerca de bugs no jogo, a não ser o que diz respeito a animação final do quinto mundo, onde o jogo simplesmente travou e tive que reiniciá-lo, fazendo com que eu enfrentasse o mundo novamente, não sei se foi problema do game ou do meu PC. No mais, o jogo roda fluido e sem problemas, sendo até um jogo leve para os atuais padrões da indústria.

Considerações Finais

A Lenda Do Herói te ganha pela nostalgia, claras sãos as influências de jogos como Wonder Boy, Alex Kidd e Mônica No Castelo Do Dragão (esse por sua vez, uma skin de Wonder Boy). Mas o jogo vai além de uma mera cópia dos supra citados, a mecânica musical é criativa e bem humorada dando um aspecto único ao jogo. As fases são inventivas e possuem um nível de dificuldade que acompanha a evolução do player possuindo uma jogabilidade fluida e que com uma boa dose de variedades entre elas.

No fim, A Lenda Do Herói é um jogo recomendado para todos, principalmente para fãs de jogos de plataforma da era 16 bits. É um jogo bonito e bastante divertido, inteiramente dublado e legendado em português do Brasil.

A Lenda Do Herói, faz parte de uma safra de bastante qualidade de jogos brasileiros, sendo um dos jogos que demonstram a força dos estúdios nacionais no concorrido mercados de jogos eletrônicos. Esperamos que haja mais iniciativas como A Lenda Do Herói no futuro.

Deixe um comentário