Ridley Scott pode querer viver do passado, mas Gladiador 2 já é demais

0
831

Para viabilizar uma continuação de Gladiador, diretor precisa primeiramente desistir dessa ideia maluca

Gladiador 2. Eis um filme que dificilmente estará na nossa série de postagens “Sequências que queremos“. Mas parece que pode acabar acontecendo! Tudo isso porque Ridley Scott, diretor do primeiro filme, afirmou recentemente em entrevista que já sabe como inserir o primeiro protagonista no projeto.

Sem querer desmerecer o filme de 2000 estrelado por Russell Crowe. Vencedor de 5 estatuetas do Oscar (incluindo melhor filme e ator), o longa é um excelente exemplo de como um roteiro pode mesclar história real e ficção para fins de entretenimento, com emocionantes e bem-coreografadas batalhas no Coliseu de Roma numa jornada incrível de queda e vingança. Tudo isso com a envolvente trilha sonora de Hans Zimmer.

“Mas como trazer de volta um personagem morto numa produção que não envolve fantasia?” Boa pergunta. A primeira alternativa que vem à tona é o recurso do flashback. Relembrar o passado de um grande personagem não é nenhuma novidade no cinema, mas em Gladiador 2 isso se tornaria ainda mais complicado.

Primeiramente pelo fato do elenco ter envelhecido nada menos do que 17 anos. Uma maquiagem pode até rejuvenescer Crowe, mas o ator precisaria entrar em rigorosa dieta. Connie Nielsen está na ativa (aparecerá em Mulher Maravilha) e demandaria o mesmo uso de maquiagem, uma vez que em Gladiador fica claro o envolvimento dela com o protagonista no passado. Joaguin Phoenix, que deu vida a Commodus, também está atuando mas não é uma pessoa fácil de lidar. Por fim, seria necessário um novo Marcus Aurelius no lugar do saudoso Richard Harris.

Recurso digital e troca de autor poderia eventualmente viabilizar as gravações, mas a principal questão seria a motivação disso tudo. Se a intenção for mostrar Maximus nos tempos de general do exército, talvez não haja necessidade de repetir o elenco. Mas qual história seria contada a partir disso, e como torná-la palatável de modo que atraia o público ao cinema?

Nós adoramos Ridley Scott de alma e coração. Apesar dos tropeços, ele é responsável por diversas jóias do cinema como Alien: O Oitavo Passageiro, O Gângster, Blade Runner – O Caçador de Andróides e Perdido em Marte. Porém, vai ser difícil encontrar um argumento que viabilize um novo Gladiador.