Filmes

41ª Mostra propõe discussão sobre o cinema em Fórum inédito

Edipo Pereira

18 out, 2017

Linguagem, política e mercado cinematográfico conduzem os debates do I Fórum Mostra-Folha

O aspecto criativo do fazer cinematográfico, um filme como obra política, fruto ou instrumento de um contexto social, e seu objetivo como produto dentro de um mercado em evolução. Essas são questões que serão debatidas no I Fórum Mostra-Folha: rumos do Cinema e do Audiovisual, a primeira edição do evento que a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo realiza, em parceria com o jornal Folha de S. Paulo e o Itaú Cultural, nos dias 25, 26 e 27 de outubro, na sede do instituto. O encontro de diretores, produtores e distribuidores, com nomes importantes da política e da economia cinematográficas, estende discussões presentes na própria seleção de títulos da 41ª Mostra, promovendo conversas e um olhar sobre os filmes em sua relação com o mercado de bens culturais e com questionamentos do mundo contemporâneo, como a representatividade, para refletir o futuro do setor.

Logo no primeiro dia, 25/10, o Fórum abre os debates explorando as Fronteiras entre as Linguagens e como cinema, TV e outras artes se cruzam na mesa inaugural. Depois, a Realidade virtual e novas formas narrativas, que estão em destaque na 41ª Mostra, com a exibição de 19 produções em VR (virtual reality), são apresentadas ao público interessado em descobrir este novo formato e linguagem. E justamente quem discute o cinema, entra em foco, na sequência, na mesa sobre A crítica de cinema na era virtual com profissionais da área pensando qual a sua função neste mundo e no seu próprio setor em transformação.

O aspecto mercadológico da sétima arte recebe destaque no dia 26, com um debate sobre Cinema nacional e recursos públicos iniciando os trabalhos e mostrando ao público em geral a realidade do financiamento na área, que muito se fala sem se ter conhecimento. A mesa seguinte aprofunda a questão, abordando o Fundo Setorial do Audiovisual: mudanças a caminho?, enquanto a última deste segundo dia aponta a outra ponta da indústria, em seus desafios de distribuição e exibição Em busca da visibilidade e do público.

As discussões contemporâneas ganham forma no terceiro e último dia do Fórum, 27/10, com a mesa inicial sobre Representatividade no cinema, em que diferentes vozes debatem a necessidade de protagonismo das minorias sob aspectos políticos e estéticos. À tarde, os encontros seguintes exploram o mercado do VoD em adaptação ao contexto nacional, em Vídeo sob demanda: consumo e regulação, e a difícil tarefa de mensurar algo tão subjetivo como a arte, em Economia da cultura: o cinema em números.

Veja abaixo os detalhes dos temas, horários e todos os convidados das mesas na programação do I Fórum:

PROGRAMAÇÃO

25/10 (QUA), DIA 1: CINEMA E LINGUAGEM

10:00 - 10:15 ABERTURA

Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Claudiney Ferreira, Gestor do Núcleo de Audiovisual e Literatura do Instituto Itaú Cultural

10h15 - 12:15 MESA 1 Fronteiras entre linguagens

Neste início de século, as fronteiras entre as diferentes formas de linguagem são cada vez mais tênues – ou inexistentes. Nesta mesa, profissionais de diferentes perfis discutem como cinema, TV, artes visuais, etc. se influenciam, se cruzam e se alimentam.

Henk Handloegten, cineasta

Maria Ângela de Jesus, produtora de televisão

Roberto Cruz, curador de artes visuais

Marcelo Gomes, cineasta

Eduardo Conejo, gerente sênior de inovação da Samsung América Latina

Mediação: Helen Beltrame-Linné, editora-adjunta da Ilustríssima

14:00 - 16:00 MESA 2 Realidade virtual e novas formas narrativas

No ano em que a Mostra exibe 19 produções em VR, esta mesa investiga as mudanças e possibilidades trazidas pela realidade virtual. O que significa o cinema de imersão? O que é, tecnicamente, o VR? Como fotógrafos e roteiristas trabalham esse universo?

Tadeu Jungle, artista multimídia

Janaina Augustin, diretora do núcleo Outras Telas da O2 Filmes

Renato Citrini, gerente sênior da Divisão de Dispositivos Móveis da Samsung

Fabio Hofnik, diretor da Hyper VR

Mediação: Guilherme Genestreti, repórter da Ilustrada

16:30 - 18:30 MESA 3 A crítica de cinema na era virtual

Durante anos, a crítica debruçou-se sobre as estreias e, no máximo, sobre os filmes da TV. Hoje, com uma produção que só cresce – em volume e formatos – e com as possibilidades de escrita abertas pela internet, qual o seu papel? E quais são os desafios da crítica diante da diluição de fronteiras entre as diferentes linguagens?

Inácio Araújo, crítico da Ilustrada e montador

Marcelo Hessel, crítico do Omelete

Andrea Ormond, crítica independente

Luciana Veras, repórter da revista Continente

Mediação: Fábio Cypriano, crítico de arte da Ilustrada e professor da PUC-SP

26/10 (QUI), DIA 2: ECONOMIA DO CINEMA

10:00 - 12:00 - MESA 1 Cinema nacional e recursos públicos

Quando se deseja falar de economia dos cinemas nacionais, chega-se, invariavelmente, à questão do financiamento público. A mesa propõe uma reflexão, tanto do ponto de vista público quanto do ponto de vista de realizadores e produtores, sobre essa dependência e discute os mecanismos de apoio às produções brasileiras.

Cacá Diegues, cineasta

Rodrigo Teixeira, produtor (RT Features)

Carlos Augusto Calil, professor da ECA-USP

Mauricio Andrade Ramos, diretor-presidente da Spcine

Mediação: Ana Paula Sousa, coordenadora do Fórum Mostra-Folha

14:00 - 16:00 MESA 2 Fundo Setorial do Audiovisual: mudanças a caminho?

Atualmente a principal fonte de financiamento tanto de séries quanto de longas-metragens produzidos no Brasil, o FSA, um fundo público, trabalha com 16 linhas de financiamento, mas passa por revisões no momento. O que deve ser mudado? O Fundo ainda sofre ameaças na Justiça.

Sérgio Sá Leitão, Ministro de Estado da Cultura

Andrea Barata Ribeiro, produtora (O2 Filmes)

Fabiano Gullane, produtor (Gullane)

Rodrigo Salinas, advogado

Mediação: Ana Paula Sousa, coordenadora do Fórum Mostra-Folha

16:30 - 18:30 MESA 3 Em busca da visibilidade e do público

Em meio a um grande volume de produção e a novas possibilidades de exibição, a sala de cinema ainda pode ser considerada a principal janela de um filme? O debate trata dos caminhos para a comercialização dos filmes nacionais, da internacionalização da produção e de questões ligadas à exibição e formação de público.

Jean-Thomas Bernardini, distribuidor (Imovision)

Nadia Dresti, vice-diretora artística do Festival de Locarno

Ana Luiza Beraba, distribuidora (Aldea / Esfera Filmes)

Ryan Kampe, sales agent (Visit Films)

Silvia Cruz, distribuidora (Vitrine Filmes)

Mediação: Helen Beltrame-Linné, editora-adjunta da Ilustríssima

27/10 (SEX), DIA 3: CINEMA E CONTEMPORANEIDADE

10:00 – 12:00 MESA 1 Representatividade no cinema

Em tempos de políticas afirmativas e de polarização, o cinema tem sido colocado no centro de um debate político-estético relativo ao protagonismo das minorias e de grupos étnicos na produção audiovisual. Esta mesa procura olhar para a questão da representatividade a partir de diferentes perspectivas e vozes.

Glenda Nicácio, cineasta

Luiz Bolognesi, roteirista e diretor

Genito Guarani-Kaiowá, liderança indígena e cineasta

Helena Ignez, atriz e cineasta

Mediação: Patrícia Campos Mello, repórter especial da Folha de S.Paulo

14:00 - 16:00 MESA 2 Vídeo sob demanda: consumo e regulação

Cinco anos após a aprovação da Lei 12.485, que regulamentou a TV paga, o Brasil enfrenta um novo embate regulatório no setor audiovisual: o do vídeo sob demanda. A mesa debaterá questões como a presença de conteúdo nacional no VoD e a cobrança de taxas sobre o serviço de streaming

Débora Ivanov, diretora-presidente da Ancine

Bobby Allen, vice-presidente de conteúdo da Mubi

João Mesquita, diretor-geral do Telecine

João Daniel Tikhomiroff, presidente do Siaesp

Mediação: Ana Paula Sousa, coordenadora do Fórum Mostra-Folha

16:30 - 18:30 MESA 3 ECONOMIA DA CULTURA: O CINEMA EM NÚMEROS

Como se mede o valor da cultura? Partindo dessa pergunta, os integrantes desta mesa revelam números e dados relativos à economia da cultura – e, em especial, ao mercado audiovisual. A mesa, que tem também uma perspectiva internacional, debate ainda a busca de métricas adequadas para o setor.

Paula Alves de Souza, Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores

Catherine Ann Berger, diretora da Swiss Films

Breno Sampaio, professor da UFPE

Gustavo Sampaio, professor da UFPE

André Moreira Cunha, professor da UFRGS

Mediação: Ana Paula Sousa, coordenadora do Fórum Mostra-Folha

SERVIÇO

LOCAL: Itaú Cultural (Av. Paulista, 149)

DATA: 25, 26 e 27 de outubro de 2017 – das 10h às 19h

TEMAS: Cinema e Linguagem; Cinema e Mercado; Cinema e Contemporaneidade. Esses três eixos temáticos se alimentam e se cruzam, espelhando também a programação da Mostra.

PÚBLICO-ALVO: Público geral, realizadores, produtores, cinéfilos, gente ligada a políticas públicas culturais, artistas visuais, interessados na discussão sobre o meio ambiente.

*Entrada gratuita, retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Deixe um comentário