Ah, os slashers… filmes cujo antagonista é um serial-killer misterioso, portando uma máscara ou fantasia, e assassinando brutalmente suas vítimas, geralmente adolescentes libidinosos. Com baixo orçamento e grandes lucros, eles tiveram como auge do sucesso a década de 80. Mas quem diria que esses vilões seriam tão bem acolhidos pelo público e até mesmo idolatrados, tornando-se ícones do terror? Isto é perceptível não só pelas diversas sequências de seus filmes, como também em sua influência em outras mídias como jogos, HQs, Livros e em produtos em geral como peças de roupa e itens colecionáveis.

Apesar da maior abundância de filmes do subgênero ter sido na década de 80, quando foram lançados alguns de seus principais ícones como Jason (Sexta-feira 13) e Freddy Krueger (A Hora do Pesadelo), o subgênero tem suas origens na década de 70, inspirado pelo estilo italiano Giallo, e teve como expoente nos cinemas americanos o aclamado “O Massacre da Serra Elétrica” (1974) do até então promissor diretor Tobe Hooper, seguido do igualmente bem sucedido Halloween (1979) do mestre John Carpenter.

Já nos anos 80 a fórmula do slasher foi superexplorada, adicionando múltiplas reviravoltas na trama, mortes cada vez mais criativas, consolidando o estereótipo da final girl, e colocando o assassino muitas vezes dentre os protagonistas, fazendo o espectador inquieto se questionar a todo momento sobre a verdadeira identidade do serial-killer da vez. Com praticamente todos os clichês e fórmulas já bem estabelecidos e explorados, a década de 90 nos trouxe a franquia Pânico do saudoso Wes Craven, que soube lidar como ninguém com estes clichês e referências ainda de forma metalinguística, tornando o Ghostface outro ícone slasher. Desde então o subgênero teve alguns lançamentos esporádicos, mas longe de uma nova onda de filmes. A lista abaixo consiste em alguns slashers subestimados, que muitas vezes foram ofuscados pelos clássicos já mencionados, mas possuem elementos criativos e até mesmo surpreendentes que garantem uma boa e divertida experiência ao espectador.

1. Acampamento Sinistro (1983)

Quem se aprofundou um pouco no subgênero slasher já deve ter se deparado com Acampamento Sinistro, um clássico de baixo orçamento dos anos 80. Este filme se passa num acampamento de crianças e adolescentes (alguns de 30 anos), e é protagonizado pelos irmãos Ricky (Jonathan Tiersten) e Angela (Felissa Rose), que possuem um trágico passado familiar. Mortes macabras de campistas começam a ocorrer e o mistério da identidade de assassino permanece até o arrebatador final do filme, com uma cena memorável, considerada uma das mais surpreendentes dentre os slashers da época. OBS: O figurino deste filme é uma overdose de anos 80.

2. Violência e Terror (1989)

Este é um curioso filme que tem como um dos protagonistas o jovem Sam Raimi, mais conhecido por ter dirigido o clássico The Evil Dead alguns anos antes. O filme se passa num mercado onde alguns funcionários ficam presos misteriosamente e mortes começam a acontecer. Com ângulos de câmera inusitados e mortes criativas, o filme conta ainda com Greg Nicotero nos efeitos especiais, discípulo do mestre Tom Savini, e que faz um excelente trabalho nas cenas de horror explícito. A trama também põe em dúvida a identidade do assassino e garante uma reviravolta no final, mas as intrigantes estratégias de filmagem, transições de cena e ótimos efeitos indicam que este não é apenas mais um slasher dos anos 80.

3. A Hora do Pesadelo II: A Vingança de Freddy (1985)

Bom, que Freddy Krueger é um ícone do slasher sobrenatural muitos sabem, mas poucos se lembram deste segundo filme que é um dos mais subestimados e curiosos da franquia. Sem muita relação com o primeiro, o protagonista desta vez é Jesse, um garoto cuja família se muda para Elm Street e então passa a ter pesadelos com Freddy, que tenta manipulá-lo para cometer assassinatos. Em diversos slashers existe tensão sexual, seja entre os adolescentes protagonistas, seja entre o assassino e a final girl (estereótipo de garota pura e virginal que é a última sobrevivente). Neste caso, a irreverência deste filme está em colocar um personagem masculino no estereótipo de final girl, com toda a pureza e inocência, além de uma tensão sexual refletida em diversas cenas sugestivas entre Freddy e Jesse. Fora este aspecto inusitado e até ousado pra época, que nunca se repetirá em nenhum dos outros filmes da franquia, o longa conta com efeitos especiais fantásticos e uma trama intrigante. Opção fundamental para quem aprecia o gênero.

4. Student Bodies (1981)

Imagine uma paródia de slashers feita na década auge deste subgênero… Student Bodies é isto e muito mais! Um filme que brinca não só com os clichês do slasher como também faz referência ao Giallo italiano, e faz isso tão bem que serviu de inspiração para diversas paródias posteriores de filmes de terror como a divertida franquia Todo Mundo em Pânico. Perdeu a conta de quantos personagens morreram durante o filme? Student bodies faz a sua própria contagem de cadáveres! Gosta de reviravoltas? Student Bodies tem uma sequência de reviravoltas e quebras de expectativa só nos primeiros 15 minutos de filme! Com uma abordagem inusitada, quase beirando o non-sense e inteligentes quebras da quarta parede, o filme garante muita diversão especialmente aos fãs do subgênero, mas não só a eles.

5. Terror nos bastidores (2015)

O subgênero slasher na década atual respira por meio de lançamentos esporádicos como Terror nos bastidores. O filme retoma não só a fórmula slasher com todos os seus clichês, como o próprio título em inglês já evidencia (The Final Girls), como também traz à tona a atmosfera anos 80 com suas cores vibrantes e uma interessante trilha sonora. O longa é protagonizado por Max (Taissa Farmiga) que por estranhos eventos percebe que está dentro de um dos filmes de sua falecida mãe, atriz de filmes de horror nos anos 80.  Aliando interpretações exageradas e canastronas com uma trama que expõe e desconstrói clichês de forma divertida e descompromissada, o filme garante um bom entretenimento, fazendo ainda referências claras a demais produções do subgênero como o Acampamento Sinistro mencionado nesta lista.

6. A Morte te dá Parabéns (2017)

A Morte te dá Parabéns é um interessante lançamento que pode indicar uma retomada no subgênero atualmente. Nele, uma jovem universitária (Jessica Rothe) é assassinada no dia de seu aniversário, mas logo depois desperta naquele mesmo dia, onde o assassinato se repetirá até que ela descubra as causas da sua morte e o mais intrigante: quem é seu assassino atemporal. Com uma narrativa original para o estilo slasher e um assassino que tem lá um certo carisma, o filme foi uma bela surpresa no final do ano de 2017. Sem se estruturar sobre referências diretas a filmes dos anos 80, o longa explora e subverte os clichês slasher através da própria narrativa e garante uma forma divertida e original de se encarar o subgênero.

Continue ligado no CosmoNerd para mais novidades da cultura pop, geek e nerd.