Vingadores: Ultimato chegou para concluir uma década de serviços prestados pela Marvel Studios, mas a falta de cena pós-créditos precisa ser explicada

Muitas pessoas reclamaram após a sessão de Vingadores: Ultimato do fato de não termos uma cena pós créditos nos introduzindo para o que a Marvel irá lançar no futuro. As tais cenas, iniciadas com Nick Fury (Samuel L. Jackson) falando para Tony Stark (Robert Downey Jr.) sobre a “Iniciativa Vingadores” em 2008 depois de Homem de Ferro, viraram uma marca registrada do estúdio.

Acontece que o recente filme é uma conclusão de tudo isso que temos visto há mais de uma década com 22 capítulos, e a decisão de não colocar uma cena específica é mais do que acertada. No entanto, não significa que nos créditos finais não haja emoção – e uma singela mensagem da Casa das Ideias para os fãs.

Primeiro, e para reforçar o motivo de não termos nenhuma cena, precisamos lembrar que Vingadores: Ultimato é um filme bastante longo, cheio de informações e dramas isolados a serem processados após a sessão. Só para citar rapidamente, temos 3 membros originais da equipe saindo de cena que são Viúva Negra (morte), Tony Stark (morte) e Steve Rogers (aposentadoria). Há tanta emoção e discussão nesses três pilares que alguma cena pós-créditos com Quarteto Fantástico ou X-Men diminuiria sua importância.

vingadores: ultimato marvel studios

Ao mesmo tempo, a Marvel Studios aproveita esses créditos para nomear o máximo possível de atores que ajudaram a dar o brilho necessário ao MCU nesse desfecho, culminando com a assinatura dos Vingadores originais em tela: de arrepiar!

Outra coisa significativa são as marteladas no aço que ouvimos nesses créditos finais, que imediatamente remetem a Tony Stark na caverna onde preparou sua primeira armadura. Além da bela homenagem ao vingador que iniciou essa espetacular franquia e encerrou sua saga se sacrificando por todos, essas marteladas simbolizam o que é a Marvel Studios: pessoas trabalhando para criar algo extraordinário para os fãs. Ou seja: vêm mais aventuras por aí.

Você pode sabiamente argumentar que Homem-Aranha: Longe de Casa é o verdadeiro filme final da fase 3 da Marvel, algo dito pelo próprio presidente Kevin Feige. Mesmo assim, não há como negar esse caráter conclusivo do longa dos irmãos Russo, algo que nos leva a tratar o filme do aranha como uma espécie de epílogo.

Desse modo, continuo refletindo sobre os acontecimentos de Vingadores: Ultimato, mas seguro de que posso esperar bons momentos no cinema futuramente.