Nessa série de postagens, discorremos a respeito de filmes que poderiam muito bem ganhar uma continuação. A bola da vez é o Homem de Ferro!

Carro chefe da Marvel Studios, o Homem de Ferro representa o que há de melhor no MCU: filmes com ação, tecnologia, piadas e doses homeopáticas de emoção. Tudo começou em 2008, quando Jon Favreau bancou o até então problemático Robert Downey Jr. para protagonizar o primeiro Homem de Ferro, e a partir daí você deve ter uma ideia dos fatos: ligação perfeita entre ator e personagem, entregando não apenas um Tony Stark perfeito, mas acima de tudo insubstituível.

homem-de-ferro-3-mark-42O último longa lançado data de 2013 com Homem de Ferro 3 e foi o primeiro filme solo da Marvel a ultrapassar a barreira do bilhão de dólares em bilheteria, motivados principalmente pela excelente impressão deixada por Os Vingdores (2012). Parte da crítica e a grande maioria dos fãs de quadrinhos não gostaram muito do resultado, no entanto, devido ao plot twist com o falso Mandarim vivido por Ben Kingsley. Talvez tenha sido uma jogada exageradamente inteligente para um filme do gênero, ou então prevaleceu um sentimento de luto por não adaptarem fielmente um dos poucos vilões respeitáveis da galeria do Homem de Ferro nas HQs.

Atualmente, a proposta da Marvel Studios é ter na figura de Tony Stark um elemento ou elo para ligar e ao mesmo tempo promover os outros filmes no MCU. Já foi assim com Capitão América: Guerra Civil, e em 2017 assim o será com Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Muito pouco para um dos principais pilares da bilionária bilheteria da Disney com seus filmes de HQs.

Shut up and take my money

O quarto longa poderia ser tudo o que o terceiro não foi quando tratamos das dezenas de armaduras (mal) apresentadas no filme. E a viabilidade financeira é totalmente justificável se repararmos nas action-figures oficiais de HF3 sendo vendidas e expostas até hoje por aí, mesmo com as críticas negativas recebidas por Shane Black e sua turma.

103771113-invincible_iron_man_1_by_jeff_dekal-530x298Sendo assim, um novo filme do Homem de Ferro se faz necessário e os motivos passam sim pelo lado financeiro, mas vão muito além. HF4 é também a oportunidade para a Marvel Studios apresentar um sucessor, alguém para Robert Downey Jr. entregar o bastão. No sentido de representatividade e carisma nos filmes do MCU já temos alguns engatilhados como Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho), Chris Pratt (Senhor das Estrelas de Guardiões da Galáxia) e Phill Rudd (Homem-Formiga), então o que buscamos aqui é alguém para usar a armadura de Tony mesmo. Como bom coadjuvante dos filmes do ferroso temos James Rhodes (Máquina de Combate), mas apesar da qualidade de Don Cheadle é difícil saber se ele teria carisma suficiente para ser o eleito. Uma outra alternativa interessantíssima é Riri Williams, atual titular nas revistas do herói nos Estados Unidos sob a alcunha de Ironheart (Coração de Ferro).

Passa pela boa escolha de vilões o sucesso dessa sequência que queremos no cinema. Vale lembrar que o Homem de Ferro não possui uma galeria de antagonistas elogiável, mas mesmo o criticado Mandarim recebeu um reboot no próprio MCU no curta Todos Saúdam o Rei, que acabou soando como um pedido de desculpas pela Marvel. No vídeo, ficamos sabendo a respeito da existência do verdadeiro vilão, abrindo possibilidades para um eventual retorno. Outro que está esquecido é Justin Hammer (Sam Rockwell), mas sua empresa foi constantemente usada na primeira temporada de Luke Cage, da Netflix. E por que não trazer um vilão inédito das HQs? A pouca qualidade dá, em contrapartida, liberdade para improvisar em cima de diversos vilões menores como Último, Homem-Radioativo e Espião Mestre.

Como entrave, fica a resistência da Marvel Studios e a turma do dinheiro com o próprio Robert Downey Jr., tento pela moral conquistada internamente quanto pelo crescente salário. Mas figuras como Kevin Feige é quem tem segurado a onda nos bastidores, garantindo a presença de Tony Stark nos filmes da Casa das Ideias. Pesa negativamente também o calendário, no qual ja há planos traçados para as próximas décadas. Logicamente, essas metas podem ser alteradas de acordo com as necessidades que aparecem, e se um novo filme do Homem de Ferro realmente sair do papel os fãs só têm o que agradecer, e de quebra seria uma bela homenagem a Robert Downey Jr.