Quando Capitã Marvel chegou aos cinemas no início desse ano, não demorou para a personagem vivida por Brie Larson ser atacada pelo ódio hétero masculino nas redes. Também pudera, uma personagem com tamanho poder só pode ser uma forçada de barra por parte da Marvel, certo? Errado!

Desse modo, ela era a maior aposta para derrotar Thanos em Vingadores: Ultimato (algo alimentado pela cena pós créditos do seu filme e anteriormente em Guerra Infinita). Se elencarmos seus feitos no recente filme, em exibição nos cinemas, vamos perceber que ela foi sim muito bem usada. Podemos?

A Capitã Marvel foi essencial

Para começar, Carol Danvers foi responsável por trazer Tony Stark e Nebulosa com vida para a Terra. Logicamente, houve aí uma ajuda de Rocket que, mesmo sem aparecer no filme, a orientou com o devido rastreamento da Milano.

Sua contribuição mais crucial, no entanto, veio na batalha final. Além dela atravessar – destruindo – a nave bélica de Thanos, que estava massacrando todos, a Capitã Marvel evitou, num embate corpo a corpo com o Titã Louco, que ele estalasse os dedos em posse da manopla. Não fosse essa ação, não dá pra negarmos que os heróis teriam perdido novamente. Para tirar Carol de cena, os roteiristas tiveram que colocar o personagem de Josh Brolin tirando a Joia do Poder da Manopla, golpeando a heroína com toda sua energia e a jogando sabe-se lá pra onde.

O motivo dela demorar tanto para chegar a essa batalha final, é bem simples: ela estava salvando vidas e atuando pelo universo. Pode parecer uma explicação fácil e preguiçosa, mas pensa bem: quando ela avisa que ficará um tempo ausente, os heróis na Terra já estão derrotados. Thanos venceu na porradaria em Guerra Infinita, e depois venceu moralmente ao destruir as Joias. Só depois disso é que Scott Lang volta do Reino Quântico carregando a complicada solução.

brie larson como vers em cena do filme

É o uso adequado para esse tipo de personagem, num filme com esse tipo de escala. A proposta de Vingadores: Ultimato é contemplar a formação original da equipe, celebrando momentos-chave do MCU. Em sua proposta, o filme cumpre o que promete.

Ainda assim, tivemos alguns lampejos de bom uso para a Capitã Marvel, como no sugestivo “boa sorte” para o Máquina de Combate, indicando uma aproximação das HQs entre os dois, além daquela cena onde ela pega a Manopla com Peter Parker, todo assustado e ferido.

Vingadores: Ultimato queimou alguns cartuchos da personagem

O desafio de Kevin Feige e sua turma é encontrar uma forma de trabalhar bem os dramas da personagem, colocando-a em situações limitadoras que a obrigue enxergar as coisas fora do viés “sou a mais poderosa de todxs”. Para isso, há dezenas de histórias nos quadrinhos para se inspirar e roteiristas habilidosos para adaptá-las. Mas seu uso como um recurso Deus ex machina precisa ser contido a partir de agora.

Agora, inventaram de criar uma petição pedindo o afastamento da atriz, que deveria ser substituída por outra, negra e lésbica. Esse tipo de ação extremista e tuteladora é tão execrável que nem vale um link como notícia. É basicamente fazer o que Thanos propõe em Ultimato: reconstruir um mundo perfeito do zero. Seria chocante se não fosse apenas algum abobalhado da internet querendo trollar as pessoas.

Brie larson preocupada com os haters