Há algum tempo saiu o primeiro teaser de Aves de Rapina, longa da Warner que irá adaptar o grupo composto por mulheres da DC Comics para as telas do cinema. O longa traz novamente Margot Robbie como a Arlequina, popularizada pelo terrível filme Esquadrão Suicida. Dentre diversas informações já disponíveis, uma certa tatuagem chama bastante atenção, podendo indicar rumos dentro e fora do DCU.

O que vamos tratar nesse texto está muito melhor explicado em nosso vídeo recente do nosso canal (com Mellyne Barbosa e Kami Girão), exceto por um pequeno ponto. Mas antes, assista:

Tatuagem da Arlequina

A mensagem passada com a tatuagem é a de que Harley seguiu sua vida, deixando para trás o Coringa de Jared Leto. Confira na galeria:

Com isso, a Warner encaçapa duas bolas numa única – e proveitosa – jogada. Esgotou-se o clima para o palhaço de Leto, não apenas pelo seu desempenho (uma vez que a própria Arlequina foi subaproveitada no longa de David Ayer), mas também pelo seu comportamento.

Além de importunar os colegas durante a preparação para o vilão em Esquadrão Suicida, o ator fez duras críticas à Warner por conta da edição do filme, alegando ter sido prejudicado no recorte final (com alguma razão, convenhamos). As palavras não devem ter sido bem recebidas pelos executivos, e não sabemos se isso influenciou na busca por um novo ator para o personagem, culminando com a escolha de Joaquin Phoenix. 

Essa disputa de egos levou Jared Leto a fechar um acordo com a Sony para um vindouro filme do vampiro Morbius, pertencente ao leque de vilões do Homem-Aranha. O anúncio poderia facilmente ser interpretado como um ultimato para a Warner: “ou ele, ou eu.”

O escolhido foi ele. Phoenix agradou em suas primeiras divulgações para o filme solo do Coringa (agendado para outubro de 2019), e o ônus desse imbróglio pode ficar todo com Leto, que precisará se sair bem na pele de um personagem pouco popular (diferente de Venom, que apesar do filme fraco levou muitas pessoas ao cinema).

A segunda provocação que essa tatuagem faz é justamente sobre a própria Arlequina de Robbie. Ao deixar essa versão do Coringa para trás, a Warner tem a oportunidade de emplacar um discurso muito mais adequado. Se antes ela era vendida como empoderada enquanto na verdade estava num relacionamento abusivo, agora, em Aves de Rapina, ela é dona de si.

A referência a Hera Venenosa (coração em volta do ‘P’, de Pamela) dá liberdade para a criação de uma relação entre as duas no longa. Quem sabe até amorosa, como nas HQs? Num universo onde a Mulher-Maravilha habita, não pode haver tabus para mulher alguma. Só depende da coragem da Warner.

Aves de Rapina chega aos cinemas em fevereiro de 2020.