Edição do Cinejornal, programa do Canal Brasil, também mostra cobertura das prés-estreias de ‘Albatroz’ e do documentário ‘Tá Rindo de Que? – Humor e Ditadura’

Maquiador, artista plástico e caracterizador, o mexicano Martín Macías Trujillo é expert quando o assunto é  maquiagem e seus truques, De envelhecimento e rejuvenescimento a inúmeras criações, o artista reúne 70 filmes na carreira, entre nacionais e internacionais. Convidado do “Cinejornal” deste sábado, 2 de março, às 17h30, no Canal Brasil, ele conversa com Simone Zuccolotto sobre trabalhos no cinema brasileiro e Marighella’. O episódio também traz a cobertura das pré-estreias de ‘Albatroz’ e do documentário ‘Tá Rindo de Que? – Humor e Ditadura’.

Simone Zuccolotto começa o papo falando sobre os personagens reais que Martín recriou, como Antônio Conselheiro, Mauá e Zuzu Angel, e pergunta como é seu processo de trabalho. “Depois que leio o roteiro, gosto de ter uma reunião só com o diretor. Antes de chegar às minhas mãos, ele estuda muito. Então, o diretor já tem uma ideia muito fixa do que ele tem na cabeça. Depois, antes de pensar em qualquer coisa, gosto muito de encontrar com o ator e ouvir o que tem a dizer. Quando vamos no estereótipo de querer aproximar ao máximo o físico  a uma ideia, às vezes, o ator tem dificuldade de sentir aquele exterior”, explica Martín, que destaca Getúlio Vargas como seu maior desafio, interpretado por Tony Ramos nos cinemas. “Eu colocava uma careca e uma peruca grisalha nele. O Tony tem uma sobrancelha forte, uma expressão de olhar forte, e eu precisava ter uma fragilidade nesse olho. Botei látex, ruga aqui, ruga ali”.

Durante a entrevista, Martín ainda destaca a importância da peruca na caracterização: “É algo que me baseio muito, porque o cabelo muda a pessoa, sem você precisar mexer na cabeça”.

“Tem um maquiador do mundo inteiro que seja referência para você?”, pergunta Simone. Para ele, são Tom Burman e Kazuhiro Tsuji. “Tenho admiração por uma pessoa que tive a oportunidade de fazer curso, o Tom Burman, que é um dos precursores. Ele foi maquiador do primeiro ‘Planeta dos Macacos’. E é impressionante o trabalho do Kazuhiro, que ganhou o Oscar por ‘O Destino de uma Nação’”.

Simone também lembra os sucessos nacionais ‘Tropa de Elite’, em que Martín recebeu o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de maquiagem, e ‘Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora É Outro’. “É interessante porque você fazia de tatuagem do BOPE até um corpo carbonizado, ferimentos de tiros de bala”, comenta a apresentadora. Para fechar o programa, o entrevistado reproduz nela alguns efeitos de ferimento usados em ‘Marighella’.

Cinejornal – Canal Brasil
Sábado, dia 2 de março, às 17h30
Horários alternativos: Domingo, dia 3, às 7h; e segunda, dia 4, às 13h30