Na semana em que Glauber Rocha completaria 80 anos, Canal Brasil exibe Especial Cinema em Transe com três filmes assinados pelo cineasta

Um dos maiores nomes do cinema brasileiro de todos os tempos, Glauber Rocha completaria 80 anos em março. Para homenagear o cineasta, que é um dos idealizadores do Cinema Novo, o Canal Brasil exibe o Especial Cinema em Transe, entre os dias 12 e 14, sempre às 17h, três clássicos por ele dirigidos: “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), “Terra em Transe” (1967) e “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969). Além da programação regular, as três obras estarão disponíveis nas plataformas de Video on Demand das operadoras acompanhadas por “A Idade da Terra” (1980), “Barravento” (1962) e “Pátio” (1959).

ESPECIAL CINEMA EM TRANSE no Canal Brasil
Início: TERÇA, dia 12/03, às 17h

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL (1964) (119’))
Horário: terça, dia 12, às 17h – no Canal Brasil
Classificação: 14 anos
Direção: Glauber Rocha
Sinopse: Considerado um dos maiores clássicos do Cinema Novo, o filme mostra as alucinações e práticas aterradoras que a fome, a miséria e a ignorância podem inspirar num povo desesperado. Em meio à seca do nordeste brasileiro, o camponês Manuel (Geraldo Del Rey) mata o patrão escravocrata e foge acompanhado da mulher Rosa (Yoná Magalhães). Passa então a vagar pelo sertão até se unir ao bando do cangaceiro Corisco (Othon Bastos) e tem de enfrentar o temível Antônio das Mortes (Maurício do Valle), matador de cangaceiros. Em 1964, a produção recebeu o Grande Prêmio do Festival de Cinema Livre, na Itália, e o Prêmio da Crítica Mexicana no Festival Internacional de Acapulco. Dois anos depois, ganhou o Grande Prêmio Latino-americano no Festival Internacional de Mar del Plata, na Argentina.

TERRA EM TRANSE (1967) (108’)
Horário: quarta, dia 13, às 17h
Classificação: 14 anos
Direção: Glauber Rocha
Sinopse: A produção de Glauber Rocha foi considerada um dos grandes motivadores das revoltas estudantis de 1968, na França, e fez com que o diretor alcançasse projeção internacional. A história se passa na fictícia Eldorado, onde o jornalista e poeta Paulo Martins (Jardel Filho) luta para tentar mudar a situação de miséria e injustiça que assola o país. O filme, que faz várias críticas à ditadura militar, foi proibido em abril de 1967 por ser considerado subversivo e irreverente com a Igreja Católica. Tido como um dos títulos mais emblemáticos do Cinema Novo, Terra em Transe recebeu diversos prêmios, dentre eles, o Luiz Buñuel e o Fipresci no Festival de Cannes; o Prêmio da Crítica de melhor filme do Festival de Havana; melhor atriz (Glauce Rocha), argumento (Glauber Rocha), fotografia (Dib Lufti) e edição (Eduardo Escorel) no Prêmio Governador do Estado de São Paulo; e ator coadjuvante (José Lewgoy) no Prêmio Instituto Nacional de Cinema; todos em 1967.

O DRAGÃO DA MALDADE CONTRA O SANTO GUERREIRO (1969) (100’)
Horário: quinta, dia 14, às 17h
Classificação: 14 anos
Direção: Glauber Rocha

Sinopse: No drama, o matador de cangaceiros Antônio das Mortes (Maurício do Valle) volta à cidade de Jardim das Piranhas (BA) para matar o bando do jagunço Coraina (Lorival Paris), que diz ser a encarnação de Lampião. A partir desse duelo, Antônio das Mortes toma consciência de que os verdadeiros inimigos do povo não são os cangaceiros, mas sim a estrutura latifundiária dominante no Nordeste. Ele decide então combater o decrépito coronel, porém a decadência das próprias estruturas sociais torna sua ação ineficaz: a morte nem purifica, nem traz a salvação para o sertão. Dentre os troféus recebidos pelo filme, destacam-se o de melhor direção no Festival de Cannes; o Prêmio Governador do Estado de São Paulo de melhor fotografia (Affonso Beato); e Prêmio Coruja de Ouro de melhor diretor, concedido pelo Instituto Nacional de Cinema; todos em 1969.