Em atuação excelente de Amy Adams, A Chegada estreia como forte candidato a melhor filme de 2016

arrival-1024x682De antemão já digo, que filme bom, cara! A Chegada é bem denso, melancólico, é um “drama sci fi”. E os elementos que o envolvem só ressaltam esses aspectos. Uma fotografia fria, apática, paleta de cores que vai do branco ao cinza. É um daqueles filmes que te faz sair da sala de cinema e passar o resto do dia pensando a respeito e isso era, com certeza, a intenção, e muito bem executada. Dirigido por Denis Villeneuve (Sicario, O Homem Duplicado, Os Suspeitos), um cara que só vem acertando a muito tempo.

“Após a chegada de naves alienígenas ao redor de todo o mundo, a doutora Louise Banks (Amy Adams), uma lingüista especialista, é recrutada pelos militares, que são comandados pelo Coronel Weber (Forest Whitaker),  para determinar se os extraterrestres vêm em paz ou são uma ameaça. Todavia, a conversa pode não ser muito pacífica, quando todas as nações resolverem participar desse diálogo.”

arrival-movie-amy-adams-jeremy-renner-forest-whitakerFilmes sobre invasões alienígenas não são novidade na telona, mas a abordagem deste é bem mais interessante e bem mais introspectiva. Em vez do primeiro contato ser através de lasers, blasters e explosões de monumentos, temos aqui algo bem mais civilizado, ou seja, através do diálogo. Há toda uma discussão sobre a linguagem, tanto de símbolos como a escrita e como ela pode ser poderosa em diversos aspectos. O clichê de filmes desse tipo está presente, como na loucura dos civis com comentários de internet, noticiários polêmicos e etc, mas é deixado em segundo plano e a trama se preocupa bem mais em explanar o que é mais relevante.

A tensão de A Chegada é muito bem transmitida, e você sente o medo e ao mesmo tempo a curiosidade de ficar cara a cara com o desconhecido. E isso é bastante realçado com a trilha sonora composta por Johann Johannsson, que potencializa o peso das cenas com algo bastante memorável. Destaque total para Amy Adams (o filme é dela) que tem um arco bastante interessante e que circunda bem o filme. O “twist” que há na história é bastante funcional e é um estouro de cabeça mesmo. Uma brincadeira bem legal com o tempo.

A Chegada chegou chegando. É um dos melhores filmes do ano, e arrisco a dizer que é um forte candidato ao Oscar.