Série brasileira produzida pela FOX, 1 Contra Todos mostra uma dinâmica interessante e se coloca como boa opção de conteúdo nacional na TV fechada

Num cenário onde há poucas séries totalmente nacionais de qualidade, 1 Contra Todos se mostra soberana no mercado do entretenimento nacional: dos programas exibidos pela FOX e todos seus canais, o projeto dirigido por Breno Silveira (2 Filhos de Francisco) só perde em audiência para The Walking Dead no Brasil. Parte desse fenômeno passa pela capacidade da FOX em promover muito bem seus produtos, apostando numa história baseada em fatos reais, mas há muito mais elementos envolvidos nesse balaio.

1 Contra Todos aborda a vida de Cadu (Júlio Andrade), um advogado que prioriza a justiça e honestidade acima de tudo, se profissionalmente ou mesmo no âmbito familiar. Com sua esposa grávida, um filho pequeno para cuidar, a casa em reforma e as contas em atraso, sua vida está um verdadeiro caos. O pior golpe vem quando, acusado injustamente por tráfico de drogas, Cadu acaba preso ao ser confundido com um renomado traficante de drogas. Agora, ele precisará lidar com sua nova rotina, e tentar usar o status de “Doutor do tráfico” a seu favor.

O grande acerto de 1 Contra Todos é, com toda certeza, o carisma do elenco e seus respectivos personagens. Júlio Andrade consegue entregar um protagonista no qual qualquer típico brasileiro pode se identificar, seja na sua premissa de homem honesto e “de bem” ou mesmo na forma como ele acaba sucumbindo ao poder em determinados momentos. O mesmo vale para Malu (Julia Ianina), esposa de Cadu mas que, na prática, consegue dividir muito bem o protagonismo da série ao ser abordado como essa situação repercute na família como um todo, seja no bullying sofrido pelo filho na escola ou mesmo na dinâmica dos dois como casal.

Alguns desses personagens ficam na linha tênue dessa qualidade, como Demóstenes, vivido por Adriano Garib. Caricato demais, o diretor do presídio representa a corrupção retratada no programa, e acaba cumprindo bem o papel de ser a figura mais odiável. Nessa mesma linha, o traficante Pepe (Roberto Birindelli) consegue se sobressair ainda mais no sentido carisma. Além de importantes para o andamento da trama, são personagens que ajudam a deixar o elenco enxuto pelo que representam, como Santa Rosa (Roney Vilela, o carcereiro), o sensacionalista midiático (Stepan Nercessian, o “datena” da vez) e China (Thogun Teixeira, braço direito do Doutor na prisão).

Podemos questionar também a dinâmica do sistema prisional apresentado em 1 Contra Todos, se mostrando rasa em determinados eventos. Algumas situações ali são forçadas, até mesmo para uma série que não se propõe a ter um viés didático ou documental. Um exemplo é Cadu comprar a cadeia inteira com um punhado de maconha, culminando numa rave de presos cantando “maresia”, como se os únicos problemas do lugar fosse a falta da droga, e todos fossem necessariamente viciados nela. Exemplo dois: rebelião motivada pelo uso de cocaína. São leituras generalistas e inocentes até certo ponto, mas que são bem cobertas pelo humor da série, que nessa primeira temporada aparenta estar no caminho certo para encontrar seu tom.

1 Contra Todos está com todos os episódios disponíveis no FOX Play, app da programação da FOX. A segunda temporada chega na próxima segunda-feira, dia 11 de setembro.

Patrocinado

Comentários