Depois de uma ótima estreia, selecionamos o que os fãs podem esperar da 2ª temporada de Ozark na Netflix

Dentre as novas séries iniciadas e produzidas pela Netlix, Ozark foi uma das que mais se destacou. Vendida inicialmente como uma espécie de Breaking Bad, o programa protagonizado por Jason Bateman conseguiu ganhar personalidade o suficiente para não depender desse tipo de coisa ao se promover. Falamos mais detalhadamente da primeira temporada nessa crítica do nosso querido Charles Luis.

Mas o que esperar para a segunda temporada de Ozark? É o que falamos na lista a seguir:

1. Ruth Langmore e seu pai

Personagem vivida por Julia Garner, Ruth se destacou como a personagem mais incerta da série. Imprevisível quando tratamos de suas intenções, uma das poucas certezas é que ela é capaz de ir além de qualquer limite pra conseguir o que quer, liderando (ao seu modo) os criminosos mais baixos na hierarquia de Ozark. Tudo isso com respaldo do seu pai, que está na cadeia e desperta o medo em todos na região.

2. Família

Outro acerto da série foi trabalhar a dinâmica da família Byrde. Diferente de Breaking Bad, a série lida desde o início com o fato da família descobrir sobre os negócios escusos do patriarca, que lava dinheiro para o Cartel. Os dramas de cada um devem ser ainda mais explorados após o final do décimo episódio, que mostrou uma cumplicidade ímpar entre essas pessoas para uma hipótese mais do que assustadora.

3. Cartel mexicano

Spoilers à seguir. A derradeira e surpreendente cena com Del (Esai Morales), representante do Cartel na região, foi de tirar o fôlego. É difícil, no entanto, que seu sumiço seja esquecido. O próprio personagem menciona que, assim como todo mundo, ele responde a superiores, que provavelmente virão em busca de satisfações na segunda temporada de Ozark na Netflix, seja com Jacob e Darlene Snell ou mesmo com Marty.

4. Jacob e Darlene Snell

Nunca foi tão aterrorizante tomar um suco de limão na história das séries estadunidenses. Jacob e Darlene Snell (Peter Mullan e Lisa Emery) formam um casal incrível, onde usam e abusam da violência para intimidar e saciar seu sadismo, ao mesmo tempo que entendemos sua posição hereditária como família de renome em Ozark. Os planos traçados por Marty para que eles expandissem seu negócio devem ser postos em prática na 2ª temporada.

5. FBI

Jason Butler Harner fez um personagem bastante curioso na primeira temporada de Ozark, como o agente Roy Petty, do FBI. Atrás de prender os envolvidos no tráfico do Cartel, ele se dispôs a envolver-se sexual e emocionalmente com para concretizar seu propósito. No final, seus planos acabam dando muito errado, e ele surtando. Vai ser interessante acompanhar essa figura na 2ª temporada, por mais exagerado que ele tenha sido na elaboração da série.

6. Mason

O pastor Mason Young, vivido por Michael Mosley, protagonizou a cena mais tensa dessa primeira temporada de Ozark, como você pode conferir na imagem. Será que há mais o que contar sobre ele? Por mais que tenha se decepcionado e perdido a esposa de forma estúpida e orgulhosa de sua parte, foi uma figura marcante. Particularmente, acho que seu arco já está fechado.

7. Jason Bateman (Martin Byrde)

O personagem de Jason Bateman, Martin Byrde, encaixou-se perfeitamente no perfil do ator. Cheio de sacadas inventivas, aliadas a uma visão bastante analítica das situações, Byrde consegue se destacar como um patriarca comum e ao mesmo tempo único. A 2ª temporada na Netflix deve reservar ainda mais complicações para essa figura. Fica a dica para Hollywood: deem papéis em filmes mais sérios para Bateman, e não apenas em comédias.

8. Símbolos

Um lance muito legal de Ozark é que, após a introdução de cada episódio, uma vinheta com quatro símbolos surge na tela. Cada um deles representa um elemento chave da trama para o episódio em questão, fazendo com que o espectador já comece a conjecturar sobre os rumos antes mesmo de assistir (trazendo grande satisfação quando conseguimos acertar algum palpite).

9. Buddy

Em Ozark, dificilmente algum personagem é apresentado sem profundidade ou curva dramática, mesmo que, a princípio, ele pareça estar ali sem propósito maior. Um bom exemplo disso é Buddy (Harris Yulin), um idoso de 90 anos com problemas cardíacos e sem muito tempo de vida restante, segundo diagnóstico médico. Com ele, vemos cenas bizarras como andar pelado até o lago na frente dos Byrde, mas também há bastante interação dele com essa família. Sua presença na próxima temporada só enriqueceria ainda mais a série na Netflix

Comentários