No terceiro dia de Anima Forum, foi a vez de conferirmos o uruguaio Walter Tournier, conhecido por Nosso Pequeno Paraíso e Selkirk – O Verdadeiro Robson Crusoé

Os encontros deste terceiro e último dia de Anima Forum, em São Paulo, me fizeram refletir sobre as mãos e as vozes por trás da animação. Pela manhã o uruguaio Walter Tournier, reconhecido no mundo pelo seu curta “Nosso Pequeno Paraíso” escolhido como um dos 84 filmes mais importantes e representativos na mostra Cem Anos de Animação, do Festival Annecy, em 2000. Sua especialidade é o Stop Motion. Uma das mais tradicionais técnicas de animação e que nada contra a corrente da computação gráfica e das facilidades tecnológicas cada vez mais acessíveis.

Apresentando diversos curtas e, principalmente, toda a sua vivência na produção de seu longa “Selkirk – O Verdadeiro Robson Crusoé”, de 2012, Walter nos encanta pela paixão e garra incontestáveis. “Não me dou bem com computador”, brinca o uruguaio que coproduziu seu longa com Argentina e Chile para poder reunir os US$ 1,5 milhão. “Nós tínhamos uma meta de conseguir gerar de 4 a 5 segundos por dia, e uma grande preocupação nossa era com a formação de animadores necessária para a execução de um longa” explica. “Selkirk” é considerado um marco na animação latino americana e demorou 2 anos de produção e pós-produção somados aos 8 anos entre a ideia e a total busca de verbas.

Ele mesmo constrói, com suas próprias mãos, as estruturas; molda os personagens de seus curtas e tem um ateliê em sua casa onde grava seus filmes com a ajuda de sua esposa. Walter Tournier é uma explosão de ânimo para o mercado brasileiro e acredita que o acesso a informação é a maior vantagem da nossa geração. Ao final de sua fala ele conversou com os participantes que puderam ter contato com seus personagens.

Se as mãos experientes de Walter nos impressionam, as vozes do fantástico elenco de “Irmão do Jorel” deram um show à parte. O último encontro do Anima Forum não poderia ser melhor. Juliano Enrico, idealizador e diretor da série, e os atores das vozes originais comandados por Melissa Garcia leram os roteiros ao vivo para delírio da plateia. Além deles, o diretor de conteúdos originais da Cartoon Network, Marcio Sguilaro, também falou sobre o processo e o relacionamento entre canal e a equipe de roteiristas do projeto, e de como essa relação transparente e livre é a receita para uma série de sucesso.

Após tanta diversão, só nos resta desejar ainda mais sucesso ao Anima Mundi que deve levar a sua programação para Fortaleza, então aguardem! Retorno de São Paulo com a certeza de que a animação brasileira só tende a crescer cada dia mais.

Encerramos com todas as fotos do terceiro dia do evento, que você pode conferir abaixo na galeria:

Vinicius Augusto Bozzo é roteirista, diretor, editor e ator comediante. Produziu diversos programas de televisão, séries para webe documentários para TV (“As histórias de Quintino Cunha”, “Aldeia do Saber” e “Máquina de um Tempo”). Atualmente é diretor da Sinfonia Filmes e está finalizando uma série de animação chamada “Bambolim” e é nosso enviado no Anima Mundi 2017.