“Como é ser cosplayer?” Essa é sem dúvidas a pergunta que todo cosplayer mais deve ouvir! Pensando nisso, hoje iniciaremos uma série de matérias que contarão a experiência de alguns cosplayers de várias cidades diferentes do Brasil!

Eles contarão desde suas maiores dificuldades até como é feita a escolha de seus personagens. E para abrir teremos uma convidada mais do que importante: eu mesma! Sim, hoje revelarei um pouco de como é ser cosplayer para mim. Curioso? Segue em frente!

Início no Mundo Cosplay

Eu comecei no cosplay em 2015. No início foi apenas por diversão. Iria acontecer um evento de quadrinhos na minha cidade e, na época, eu estava demasiadamente apaixonada por Arrow e principalmente pela Canário Negro (Sara Lance). Às vésperas do evento eu percebi que tinha uma roupa semelhante à da Canário e assim parti em busca dos acessórios que faltariam para completar, a máscara, a peruca e as luvas, no caso.

Para um primeiro cosplay até não ficou tão ruim. Mas o mais legal mesmo é que noe vento apenas eu estava de cosplay e todo mundo queria tirar foto comigo! Me senti uma celebridade! Acho que todo esse “assédio” acabou me incentivando a continuar no mundo cosplay.

Principais dificuldades

Sem dúvidas a maior dificuldade está em morar em uma cidade relativamente pequena. Tudo é muito mais complicado aqui! Desde encontrar uma boa peruca até conseguir um cosmaker. A saída acaba sendo sempre recorrer à internet e, devido à distância, os fretes acabam sempre sendo extremamente caros, além dos produtos demorarem até mais de mês para chegar mesmo não sendo importado.

Até hoje tenho muitos problemas para conseguir boas perucas. Acabo me virando com o que encontro no centro comercial da cidade. Esse foi um dos motivos, por exemplo, por até hoje eu ainda não ter conseguido finalizar o cosplay da Canário Negro como eu gostaria. Já está muito melhor do que o anterior, claro, mas certamente poderia estar muito melhor se eu morasse em uma cidade grande como São Paulo.

Escolha de personagens

Eu sempre busco escolher meus personagens de acordo com a personalidade, mas acabo sempre escolhendo pelo que “dá pra fazer”. De vez em quando as duas coisas entram em consenso como foi no cosplay da Sara Lance. Eu sempre me identifiquei muito mais com a Sara do que com a Laurel e no fim das contas eu realmente só tinha como fazer o cosplay da Sara.

No entanto o que mais acontece quando vou escolher meus personagens é olhar o que no guarda roupa para saber o que posso fazer. Foi exatamente assim com a Jessica Jones. Certo dia eu me dei conta de que a roupa que eu estava usando era igual à da Jessica, apenas faltava a peruca.

Acho que o primeiro cosplay que eu comecei do zero e que até hoje sigo buscando e confeccionando peças específicas para ele é do Harley Quinn em Esquadrão Suicida. Eu gostei muito do visual da personagem e logo de cara quis fazer o cosplay. Ele ainda está na metade, mas mesmo assim eu já o adoro, é um dos meus favoritos!

Próximos projetos

No momento eu penso em finalizar a minha Harley Quinn e o minha versão feminina de Assassin’s Creed. Mas também penso em confeccionar para o ano que vem a versão da Gal Gadot da Mulher Maravilha e a versão feminina do Rin Okumura de Blue Exorcist.

Recentemente também me disseram que eu tenho uma versão feminina quase pronta do Edward Mãos de Tesoura, então creio que esse também pode acabar entrando na fila!

Publicidade
Loading...

Comentários