Update em 22/06: a informação sobre a diferença entre os salários de Gal Gadot e Henry Cavill foi confirmada como falsa dias depois da postagem desse texto.

O filme Mulher-Maravilha continua dando o que falar e nessa semana foi alvo de mais polêmicas. Apesar de Diana Prince ser a personagem que o universo cinematográfico precisava para representar a força feminina nos filmes de heróis, na vida real, Gal Gadot sofreu com a dura realidade machista. Pelo menos foi esse o discurso que movimentou a internet nos últimos dias.

Tudo começou quando o valor que a atriz ganhou pelo filme foi divulgado. A quantia de U$300 mil pareceu baixa para um filme com tanto sucesso de bilheteria e de crítica. Por isso, não demorou muito para que comparações fossem feitas. Gal Gadot logo foi colocada frente a frente com Henry Cavill, protagonista de Homem de Aço ─ filme que iniciou a nova fase da DC nos cinemas e foi alvo de inúmeras críticas negativas ─ e constatou-se que ele havia recebido U$14 milhões pela obra. Certamente a internet entrou em frenesi após a notícia e a Warner e a DC começaram a sofrer críticas do público, que exige uma explicação urgentemente. Vamos entender um pouco mais do caso.

É evidente a existência de uma disparidade de salários entre homens e mulheres, isso vai dos famosos até os anônimos. Em linhas gerais, mulheres ganham menos do que os homens, mesmo desempenhando o mesmo cargo que eles. Mas o desespero para provar isso pode ter nos pregado uma peça no que diz respeito ao filme da Mulher-Maravilha. Ao que tudo indica, o valor bruto que Gal Gadot recebeu é esse, mas dependendo do seu contrato, ele pode até mesmo ultrapassar o que Henry ganhou.

Nos U$14 milhões que o ator ganhou estão inclusos não apenas seu salário pelo filme, mas também extras pelo desempenho que a obra teve nas bilheterias. Isso já havia sido concordado em seu contrato, antes mesmo do filme ser gravado. Outro ponto importante é o fato de que os salários são progressivos em franquias. Caso o filme decole, o valor pago ao ator aumenta de acordo com os filmes que ele faz. Ainda não houve um pronunciamento oficial por parte da Warner ou da DC, nem dos atores ─ até o momento em que esse texto foi escrito ─ e, portanto, não sabemos se o contrato de Gal Gadot foi semelhante ao de seu colega de trabalho, mas já podemos adiantar que provavelmente toda a polêmica ocorreu tendo como base uma informação falsa, ou pelo menos, incompleta.

Já imagino que essa confusão toda vai levar pessoas mais “inflexíveis” a afirmarem que é tudo mentira e que a diferença de salários não existe. Por isso, enquanto a polêmica com os atores da DC não é resolvida, pesquisei alguns outros filmes mais antigos que podem nos ajudar a provar essa triste realidade.

Podemos começar com O Despertar da Força, onde Harrison Ford ganhou U$25 milhões e Carrie Fisher, nossa eterna princesa Leia, ganhou “apenas” U$1,5 milhão, valor menor do que o salário do próprio diretor. Em Trapaça, Jennifer Lawrence ganhou menos que seus colegas homens. Emma Watson recebeu U$30 milhões para participar de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2, já Daniel Radcliffe recebeu a quantia de U$66 milhões. Esses são apenas alguns dos exemplos em que atrizes ganham menos da metade do que seus amigos de elenco.

O mesmo ocorre com as listas de atores mais bem pagos de Hollywood, a lista masculina sempre mostra valores muito maiores do que os das mulheres. Em 2016, a Forbes declarou que The Rock tinha sido o ator mais bem pago do ano, ganhando U$64 milhões. Já na lista feminina, Jennifer Lawrence liderou com U$46 milhões. São quase U$20 milhões de diferença entre o valor ganho entre dois bons atores adorados pelo público ─ a diferença se torna mais absurda se você pensar que Jennifer tem um Oscar.

Voltando a nossa situação inicial, acho válido ressaltar que Gal Gadot pode não ter passado por isso em Mulher-Maravilha, mas a diferença injusta entre salários é uma triste realidade que precisa ser mudada. Espero que em breve tudo seja explicado e que a atriz aproveite o momento para levantar essa bandeira de igualdade, como tantas outras já fizeram antes dela.

Comentários